Governo de Portugal acena com incentivos para segurar GM

Lisboa, 31 Mai (Lusa) - O ministro português da Economia, Manuel Pinho, acenou hoje com a possibilidade de o governo de Portugal criar mecanismos de incentivo para manter a fábrica da General Motors no país.

Em nota divulgada ontem, A GM Europa afirma que a produção do modelo Combo, da marca Opel, na fábrica de Azambuja, tem alto custo de produção.

Citado no comunicado, o presidente da GM Europa, Carl-Peter Foster, disse que a empresa enfrenta uma concorrência intensa e precisa de melhorar continuamente a competitividade das fábricas da Europa Ocidental para reduzir os custos operacionais e assegurar o futuro do negócio.

O ministro luso da Economia e Inovação afirmou hoje que "o governo pode criar condições" para que a fábrica da General Motors na Azambuja se mantenha.

Manuel Pinho, que falava na comissão parlamentar de Assuntos Econômicos, Inovação e Desenvolvimento Regional, não especificou quais as condições, mas sustentou ser necessário "criar um enquadramento que permita que um projeto desta natureza" fique em Portugal.

Para o ministro, a continuação da fábrica em Portugal é "um desafio", que deve ser assumido pela administração da empresa, pelos trabalhadores e pelo Estado.

Manuel Pinho assegurou aos deputados que "há meses acompanha de perto" o processo de atribuição da produção de um novo modelo que assegure a continuidade da fábrica da Azambuja, que concorre com outras fábricas do grupo GM, em especial, as do Leste Europeu.

A fábrica da General Motors na Azambuja, fundada em 1963, emprega 1.500 pessoas e produziu em 2005 um recorde de 73.800 Combo Van e Combo Tour.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos