'Violência urbana se compara à guerra civil em Moçambique'

Maputo, 24 Ago (Lusa) - A presidente da Liga dos Direitos Humanos de Moçambique (LDH), Alice Mabote, comparou a insegurança que se vive no país, devido ao aumento dos assaltos à mão armada, ao clima de medo no país durante os 16 anos de guerra civil (1976-1992).

No começo deste mês, três agentes das forças de segurança foram mortos por quadrilhas de assaltantes na capital, Maputo. Na última terça-feira, dois policiais foram feridos a tiro, quatro dias depois de outros dois agentes também terem sido atacados por supostos assaltantes.

O clima em Maputo e arredores é de pânico, o que levou o presidente moçambicano, Armando Guebuza, a substituir o comandante-geral da Polícia da República, Miguel dos Santos, por Custódio Pinto, empossado no dia 14.

Falando nesta quinta-feira sobre a criminalidade que afeta a capital moçambicana, a presidente da LDH afirmou que "o ambiente que se vive em Maputo é de uma autêntica guerra civil", em que os bandidos já não hesitam em disparar contra policiais.

A defensora dos direitos humanos denunciou que agentes fornecerem armas e informações a quadrilhas. "O modo como os criminosos têm agido sugere que têm informações sobre os alvos que pretendem atingir e mesmo sobre a movimentação da polícia", disse Alice Mabote.

Ela apontou ainda as fragilidades existentes no mecanismo de recrutamento de policiais como outra causa do fracasso na luta contra o crime em Maputo. "Há bandidos que fazem parte da Polícia de Investigação Criminal, o que é inaceitável", afirmou.

Sobre a nomeação de um novo comandante-geral da Polícia da República, Alice Mabote mostrou-se cética em relação à eficácia da medida, com o argumento de que Custódio Pinto é oriundo das Forças Armadas. "O fato de o novo comandante-geral da polícia ser proveniente do exército pode provocar problemas de sintonia com seus colegas da polícia, que sempre fizeram carreira nesta instituição. Há até o risco de divisão e aumento do descontentamento que se vive na polícia", concluiu.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos