Corpo de luso do vôo 1907 ainda não foi identificado

Brasília, 11 Out (Lusa) - Um dos corpos das vítimas do acidente com o Boenig 737-800 da Gol que ainda não foram localizados pode o ser do português Antônio Armindo.

Leandro Armindo, filho do empresário português, afirmou que o nome de seu pai não se encontra na lista dos corpos já identificados pelo Instituto Médico Legal (IML) e informou à Agência Lusa que aguarda vir de Portugal a identificação digital completa do seu pai para ajudar a identificar o corpo.

A operação de resgate, que conta com cerca de 180 pessoas, entre militares e bombeiros e peritos, está usando agora equipamentos para levantar partes do avião, sob as quais podem estar alguns corpos.

Segundo os peritos, esse é um trabalho complexo, ainda mais difícil pelo estado de mutilação e decomposição dos corpos.

Canadá

Membros da comissão que investiga as causas da tragédia devem viajar ainda nesta quarta-feira para o Canadá para acompanhar a perícia das caixas negras do Boeing.

A previsão é de que as transcrições terminem na próxima semana e possam ajudar a elucidar a colisão entre o Boeing e jato Legacy, que matou 154 pessoas, no maior acidente aéreo da história brasileira.

A Justiça Federal do Mato Grosso determinou que a embaixada dos Estados Unidos informe o endereço no Brasil, mantido sob sigilo, em que se encontram o piloto do Legacy, Joseph Lepore, e o co-piloto, Jan Paul Paladino.

A Justiça determinou ainda que seja mantida a apreensão dos passaportes dos dois norte-americanos e a proibição para que eles deixem o Brasil.

Lepore e Paladino deverão ser ouvidos novamente pela polícia, já que houve contradições entre seus depoimentos e o plano de vôo do Legacy.

Os pilotos afirmaram que o plano elaborado pela Embraer, fabricante do jato, previa uma altitude de 37 mil pés, mas, segundo o plano aprovado pelo sistema de controle do espaço aéreo brasileiro, o Legacy deveria mudar de altitude após passar por Brasília.

O ministro brasileiro da Defesa, Waldir Pires, refutou na terça-feira a hipótese de erros do controle de tráfego aéreo do Brasil.

"Não trabalho com a hipótese de erro, porque o controle tem a presunção de que quem voa está cumprindo o plano de voo. É uma presunção inequívoca, mesmo que não haja resposta ao rádio", afirmou.

Os pilotos norte-americanos alegaram que tentaram contato com as torres de controlo de Brasília e Manaus, mas não receberam nenhuma resposta.

De acordo com as investigações, foram os controladores do tráfego aéreo que fizeram várias tentativas para falar com o Legacy.

Os operadores também deverão ser ouvidos pela polícia nos próximos dias.

As famílias das vítimas já receberam um boletim de ocorrência do acidente aéreo.

Após chocar com o Legacy, o Boeing da Gol, que fazia o voo entre Manaus e Rio de Janeiro, com escala prevista em Brasília, caiu com 154 pessoas a bordo, no último dia 29.

Já os pilotos do Legacy conseguiram fazer uma aterrissagem de emergência e nenhuma das sete pessoas que estavam no jato saiu ferida.

Com o boletim de ocorrência do acidente, os parentes das vítimas já podem fazer os pedidos de indemnização.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos