Forças armadas do Timor querem cooperar com a Justiça

Díli, 29 Nov (Lusa) - As Forças armadas timorenses "estão prontas a dar tudo o que têm" para cooperar com a Justiça, afirmou nesta quinta-feira o coronel Lere Anan Timur à Agência Lusa após a condenação de quatro militares a penas de prisão.

"O nosso país exigiu muito de nós durante 24 anos", declarou o coronel Lere Anan Timur à saída do Tribunal de Recurso, em Díli, onde quatro militares foram hoje condenados a penas de prisão entre os 10 e os 12 anos pelo massacre de oito polícias em maio de 2006.

"Estamos prontos para dar o que temos", acrescentou o oficial superior das Falintil-Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL) à Lusa.

"Como oficial, não tenho que falar em vez deles", respondeu o coronel Lere Anan Timur quando interrogado sobre os militares envolvidos em outros processos, como o major fugitivo Alfredo Reinado, cujo julgamento está marcado para 3 de dezembro.

"Como timorense, tenho autoridade moral porque me sacrifiquei pela justiça durante a guerra", acrescentou o oficial.

"Queremos ver um país com justiça e paz".

O coronel Lere Anan Timur afirmou que as F-FDTL "já começaram a cooperar com a justiça".

"Não há problema nenhum", explicou o coronel.

"Fomos vítimas também desta crise política e militar" de 2006, considerou o oficial que, no dia 25 de maio de 2006, se encontrava em Caicoli, Díli, durante a troca de tiros entre as F-FDTL e a PNTL.

"Temos todos que cooperar com a justiça. A questão é começar. As FDTL já começaram", sublinhou o coronel Lere Anan Timur.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos