CPLP vai enviar missão a Timor para ajudar a resolver crise

Lisboa, 19 fev (Lusa) - A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) vai enviar uma missão ao Timor Leste em breve para ajudar na "rápida resolução" da crise que o país atravessa, anunciou nesta terça-feira o presidente do Comitê de Concertação Permanente da organização, Apolinário Mendes de Carvalho.

"Saiu um consenso sobre a necessidade do envio de uma missão da CPLP com a maior urgência possível", disse o embaixador Apolinário Mendes de Carvalho aos jornalistas, em Lisboa, no final de uma reunião extraordinária do comitê.

De acordo com o diplomata da Guiné-Bissau, a missão da CPLP vai ao Timor Leste com dois objetivos: prestar solidariedade e ajudar na resolução do problema.

"A missão vai iniciar um diálogo entre o governo e as autoridades timorenses para a rápida resolução da crise", sublinhou.

Questionado sobre a data da missão para o Timor Leste, Apolinário Mendes de Carvalho disse que falta "alinhavar" alguns detalhes, mas adiantou que pode ser "na próxima semana".

Para o presidente do Comitê de Concertação Permanente da CPLP, a estabilidade no Timor Leste requer "o diálogo franco e construtivo entre os principais atores políticos" timorenses.

Apolinário Mendes de Carvalho disse ainda que a "CPLP já tinha uma agenda própria para o Timor Leste, que passava pela abertura de uma delegação permanente", e indicou que a crise que o país atravessa "pode ter acelerado" essa abertura.

Por sua vez, o embaixador do Timor Leste em Lisboa, Manuel Abrantes, manifestou seu "agrado" pelo envio da missão da CPLP ao país, afirmando que a iniciativa vai estabelecer contatos de "ordem bilateral e multilateral" e "apoiar o Estado timorense nas formas mais variadas".

Manuel Abrantes garantiu também que a capital timorense "está calma", mas destacou que "há a necessidade de repor a ordem pública".

Em 11 de fevereiro (noite do domingo dia 10 no Brasil), o presidente do Timor Leste, José Ramos Horta, foi gravemente baleado em sua residência em Dili, enquanto o primeiro-ministro, Xanana Gusmão, escapou ileso de uma emboscada nos arredores da capital.

Ramos Horta encontra-se hospitalizado em Darwin, norte da Austrália, onde foi submetido nesta terça-feira a uma nova intervenção cirúrgica - a quinta em uma semana.

No ataque à residência do presidente timorense, o major foragido Alfredo Reinado e um membro de seu grupo rebelde foram mortos.

Na seqüência do duplo ataque, as autoridades timorenses decretaram estado de sítio no país, com toque de recolher entre as 20h e as 6h.

Timor Leste integra a CPLP ao lado de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos