China lança satélite meteorológico para os Jogos Olímpicos

Pequim, 27 mai (Lusa) - A China lançou nesta terça-feira um satélite meteorológico que vai permitir prever o estado do tempo durante os Jogos Olímpicos e auxiliar na recuperação do terremoto de Sichuan, informou a imprensa estatal chinesa.

O Fengyun-3 foi lançado num foguete Long March-4C desde o Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan na província de Shanxi, às 11 horas (23 horas de segunda-feira no Brasil), citou o jornal oficial China Daily.

O satélite, que entrou na sua órbita atual 20 minutos mais tarde, afirmou a Administração Meteorológica (AM) chinesa num comunicado divulgado na sua página de internet, inclui sensores tridimensionais que conseguem vigiar a atmosfera terrestre e o clima, bem como os oceanos e os pólos.

Com o novo satélite a China vai conseguir prevenir desastres naturais e preparar respostas às alterações climáticas, de acordo com a mesma fonte.

"As imagens vão ter uma importância vital para vigiar as alterações climáticas e os possíveis desastres naturais", explicou Gao Huoshan, diretor geral da equipe de pesquisa do FY-3.

Também vai contribuir para a obtenção de dados geográficos fundamentais para as pesquisas nos domínios da aviação, navegação, agricultura, e no estudo das florestas e dos oceanos, acrescentou.

Segundo o China Daily, o equipamento vai ajudar os meteorologistas a obterem previsões mais exatas acerca do estado do tempo durante os Jogos Olímpicos (JO) e durante os trabalhos de reconstrução das áreas devastadas pelo tremor de terra que atingiu o sudoeste do país no dia 12.

O governo chinês está preocupado que a chuva possa arruinar a cerimônia de abertura dos Jogos em 8 de agosto, um mês que é tradicionalmente chuvoso em Pequim.

A China lançou o primeiro satélite meteorológico em dezembro de 2006, também para obter previsões do tempo durante as Olimpíadas.

O programa espacial chinês é um motivo de enorme orgulho no país, esperando-se que impulsione o desenvolvimento comercial de satélites.

Até agora, a China está fora do mercado ocidental dos satélites de telecomunicações uma vez que as diretivas norte-americanas de exportação de componentes para satélites impedem a China de os utilizar.

Segundo a AM, os equipamentos que constituem o satélite lançado hoje possuem os mesmos parâmetros que aqueles que são usados nos satélites americanos e europeus, e em alguns casos são até de qualidade superior.

A China tem planos para lançar mais 22 satélites meteorológicos até 2020, adiantou a AM, citada pelo China Daily.

O programa espacial chinês prevê a realização de uma viagem espacial na segunda metade de 2008, quando os astronautas chineses saírem da sua nave espacial pela primeira vez.

A agência noticiosa oficial chinesa, Nova China, anunciou no início deste ano que esse passeio pelo espaço vai ser transmitido ao vivo.

Pequim também enviou uma nave espacial de nome desconhecido para a órbita lunar no ano passado, na primeira das três fases de um projeto de exploração lunar.

A China tem planejada uma viagem do homem à lua em 2017.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos