Rússia pode discutir na ONU presença da Otan no Mar Negro

Moscou, 5 set (Lusa) - A Rússia não vai tomar medidas militares de resposta face ao aumento do número de navios da Otan no Mar Negro, mas pode levar essa questão às Nações Unidas, declarou nesta sexta-feira Andrei Nesterenko, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

O diplomata russo também condenou as promessas de adesão rápida à Otan e apoio econômico feitas à Geórgia por Dick Cheney, vice-presidente dos Estados Unidos.

"Semelhantes declarações e, antes de tudo, novas promessas a Tbilissi sobre a rápida adesão à Otan apenas reforçam o perigoso sentimento de impunidade no regime do senhor Saakachvili e atiçam suas ambições agressivas", declarou Nesterenko.

"O senhor Cheney falou também de um novo pacote norte-americano de apoio à Geórgia, equivalente ao orçamento militar desse país", acrescentou.

Segundo Nesterenko, o Kremlin espera que as autoridades dos Estados Unidos não criem dificuldades à ida de representantes da Ossétia do Sul e da Abkházia a Nova York, onde haverá a reunião do Conselho de Segurança da ONU sobre a Geórgia. Caso contrário, Moscou pedirá a realização de uma reunião do órgão em Genebra.

Andrei Nesterenko disse ainda que a Rússia não recebeu uma posição oficial da Geórgia sobre a ruptura das relações diplomáticas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos