Técnico de Portugal vê em amistoso chance de formar equipe

Por Nuno Filipe Ortega, da Agência Lusa

Talin, 9 jun (Lusa) - O treinador da seleção portuguesa, Carlos Queiroz, disse nesta terça-feira que o amistoso com a Estônia, quarta, é mais um degrau na construção da equipe portuguesa e que servirá para consolidar opções.

"É mais um degrau, porque temos de consolidar opções", citou em conferência de imprensa, em Talin, Carlos Queiroz, que quer dar experiência a alguns jogadores lusos.

O técnico confirmou que vai permitirá a estreia de alguns jogadores, dizendo que espera "a melhor resposta possível" deles, embora seja uma questão de aprendizagem, como na "primeira viagem de avião" ou no "primeiro beijinho".

Queiroz mostrou-se confiante no futuro e afirmou que sente "o grupo cada vez tranquilo, com mais confiança no seu trabalho".

Para o comandante luso, a experiência dada a estes jogadores é importante para que não volte a acontecer o mesmo que nos confrontos com a Suécia e a Albânia, em que a "equipe das quinas" tinha menos sete habituais titulares.

"O trabalho acumulado dos estágios tem vindo a permitir que qualquer jogador que esteja em campo, o seu posicionamento, o seu entendimento e a sua harmonia sejam cada vez melhores. Estamos no bom caminho", disse.

Sábado, Portugal derrotou a Albânia, por 2 a 1, em jogo das eliminatórias para Copa-2010, com o gol de Bruno Alves aos 48min do segundo tempo.

"Se esse clique é tão importante e pode ajudar, então temos todos de acreditar nisso. Mas não é só desse clique que a equipe vai viver e não é com esse clique que a equipe vai conseguir a qualificação. É com a conjugação de muitos outros pequenos cliques", citou.

Carlos Queiroz lembrou que "ainda há muito trabalho para fazer" e que a equipe tem de "ter as mãos no presente e os olhos no futuro".

"Depois de tanto esforço, o gol trouxe mais ilusão, mais esperança, mais convicção ao mérito, ao trabalho e ao empenho da equipe. Tirando alguns minutos na primeira parte, nós fizemos um bom jogo. Tivemos a capacidade de, a pouco e pouco, ir batendo nos pontos frágeis da Albânia até eles cederem. Isso foi mérito da equipe, porque não se precipitou", considerou.

Os dois próximos encontros da seleção portuguesa disputam-se no princípio da próxima temporada, na Dinamarca e na Hungria, sendo que Carlos Queiroz garantiu já ter falado com os jogadores.

"Já tive conversas com eles. Naquilo que depende de nós, queremos fazer tudo para que eles estejam bem fisicamente. Espero também que as questões profissionais se resolvam cedo para os jogadores poderem começar a temporada normalmente", disse.

Carlos Queiroz afirmou ainda que a comissão técnica tem "um plano estratificado e programado" para "tentar garantir quatro a seis jogos por ano" a jogadores de 20 e 21 anos, numa seleção B.

O técnico lembrou ainda jogadores como Rui Patrício, Pereirinha, Yazalde ou Fábio Coentrão, com quem espera trabalhar no futuro, mas a quem preferiu dar minutos no Torneio de Toulon, ao serviço da seleção de sub-21.

Sobre a nova equipe que está sendo formada para as várias seleções, Queiroz disse que "até ao final da semana" irá falar com o presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Gilberto Madail, que depois anunciará a decisão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos