UOL Notícias Notícias
 

08/09/2009 - 16h52

Queiroz prevê duelo Hungria x Portugal de 'fortes emoções'

Por Rui Barbosa Batista, da Agência Lusa

Budapeste, 8 set (Lusa) - O treinador da Portugal, Carlos Queiroz, prometeu nesta terça-feira um "jogo de emoções fortes", quarta-feira, diante da Hungria, no qual só admite o cenário da vitória para manter viva a esperança de classificação para a Copa-2010.

"Para quem não aguenta emoções fortes, recomendo que não vejam o jogo. Para aqueles que gostam, vai ser um grande desafio. São equipes que gostam de jogar e, se Portugal continuar neste caminho, temos uma boa oportunidade de ganhar quarta-feira", afirmou.

Segundo o técnico, o espetáculo está garantido: "Acho que vai ser um grande jogo com a Hungria, entre duas equipes que gostam de jogar a bola, controlá-la, com excelentes jogadores. Espero que Portugal continue neste caminho de controlar o jogo, atacar e defender bem. Assim tem boas chances de ganhar", assinalou.

"Quero uma equipe de generais, líderes e soldados. De trabalho que, quando vestem a camisola da seleção nacional, acabam hierarquias e todos joguem com o objetivo de Portugal", desafiou, elogiando o "trabalho perfeito e grau de profissionalismo louvável" dos seus jogadores.

Apesar de toda a confiança e da recusa do "luxo de ter ansiedade", Queiroz reconhece grande valor do adversário, "uma equipe que merece todo o respeito do grupo pelos resultados e posição".

"Vamos mostrar o nosso respeito estando em alerta total e a jogar no máximo das nossas capacidades", acrescentou, recudando-se a revelar se Liedson vai ser titular e se mantém o sistema 4-4-2.

Mais importante do que isso é assumir o jogo em função de si próprio: "Quero que a equipe continue a jogar bem e ao ataque, a produzir oportunidades de gol, seja dominadora e controle o jogo. Continue a aparecer na área adversária com dois, três ou quatro jogadores para finalizar. É esse o caminho que quero para Portugal".

Quanto aos portugueses que duvidam do êxito da seleção, deixou um recado claro: "Estamos confiantes, mas quando a equipe não está na frente, há aqueles que têm menos confiança ou estão menos otimistas. Mas também não precisamos desses para ganhar, mas apenas de nós e nos que acreditam e confiam em nós".

Os jornalistas húngaros manifestaram-se incrédulos quanto ao desempenho de Portugal aquém das expectativas, mas Queiroz retomou a questão, direcionando-a para o momento atual: "Estamos bem preparados física, técnica e mentalmente".

"No princípio, teoricamente Portugal e Suécia eram os países favoritos ao primeiro lugar. A razão porque nesta corrida estamos atrás é porque os outros fizeram mais pontos onde nós falhamos. Mas agora o jogo está em aberto, não terminou e enquanto assim for temos grande oportunidade de poder chegar à frente e ganhar".

A concluir, acrescentou: "E ainda não acabou. No final aqueles que tiveram um sprint mental de melhor controle emocional, força mental, determinação, vontade, desejo de ganhar são os que vão chegar primeiro".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,02
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,02
    75.974,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host