Presidente guineense destaca passagem da Taça Fifa pelo país

Bissau, 9 out (Lusa) - O presidente guineense, Malam Bacai Sanhá, considerou que a passagem da Taça Fifa por Bissau "é um sinal de confiança" da comunidade internacional em direção a Guiné-Bissau, e disse esperar que a seleção nacional consiga se classificar para a Copa do Mundo de 2014.

"Em nome do povo da Guiné-Bissau e em nome do governo", Sanhá aproveitou para "agradecer à Fifa por ter escolhido Bissau como uma das vias por onde passa a taça", concedida ao país campeão mundial.

"Para nós, é um ato de solidariedade para com a Guiné-Bissau, um país que, nos últimos tempos, tem conhecido momentos difíceis, mas também é um sinal de que a comunidade internacional começa a ter confiança na Guiné-Bissau, confiança de que a estabilidade e a paz vieram para ficar", declarou o presidente guineense.

Sanhá foi o único guineense a tocar na Taça Fifa, que nesta sexta-feira esteve em Bissau durante quatro horas, gesto que não foi permitido aos cerca de 150 convidados, entre governantes, dirigentes da federação e de clubes de futebol local presentes no aeroporto de Bissau, de onde o troféu não saiu.

Para o chefe de Estado guineense, a ida do troféu a Bissau "é também um motivo de grande alegria" para a Guiné-Bissau, enquanto a realização da primeira Copa do Mundo no continente africano simboliza "o despertar da África".

"É a primeira vez que se vai realizar um campeonato do mundo de futebol neste heroico e histórico continente africano", afirmou.

"É um sinal de que a África está a despertar. (...) Despertamos, mas despertamos para sempre para o futuro dos nossos filhos e dos nossos netos", ressaltou Sanhá.

Percurso

O presidente da Guiné-Bissau desejou ainda "um bom percurso" para a Taça Fifa, que vai passar por todo o continente africano, e fez votos para que a Copa de 2014, no Brasil, conte com a presença da seleção guineense.

"Desejo à Fifa um bom percurso para a Taça do Mundo e garanto-vos que, no próximo Campeonato do Mundo de 2014, a Guiné-Bissau estará presente com uma equipe forte", disse Sanhá.

Proveniente da Gâmbia, a Taça Fifa segue de Bissau para o Senegal, dentro de um percurso pelos países africanos.

Até o início da fase final da Copa da África do Sul, que será disputada entre junho e julho, a taça percorrerá 86 países, incluindo 52 africanos.

A Guiné é o único país africano por onde o troféu não será apresentado devido à situação de instabilidade política e militar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos