Desastres naturais afetaram 100 milhões de pessoas no mundo em 2015

Edgard Júnior

Da Rádio ONU, em Nova York

  • Prakash Mathema/AFP

Relatório divulgado pelo escritório para Redução do Risco de Desastres, alertou que 22,7 mil pessoas morreram devido a terremotos, furacões, enchentes, entre outros; o prejuízo econômico dessas tragédias chegou a US$ 66,5 bilhões

Um relatório divulgado nesta quinta-feira (11) pela ONU mostrou que os desastres naturais mataram mais de 22,7 mil pessoas no mundo em 2015. O documento, preparado pelo Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres, cuja sigla é Unisdr, alertou que quase 100 milhões de pessoas foram afetadas de alguma maneira por terremotos, furacões, enchentes, entre outros, ocorridos no ano passado.

Países afetados

Os especialistas disseram ainda que os prejuízos econômicos com os desastres atingiram US$ 66,5 bilhões, o equivalente a mais de R$ 240 bilhões. O custo médio dos estragos e danos causados pelos desastres naturais é bem maior: US$ 140 bilhões anuais.

Os países mais afetados foram China, Estados Unidos, Índia, Filipinas e Indonésia.

Apesar dos números e valores altos, os resultados atuais mostram uma queda em relação aos dados registrados há 10 anos. Por exemplo, o número médio de mortes na última década é de 76,4 mil. A exceção ficou com 2010, que registrou 295 mil mortes em desastres naturais, sendo que 220 mil somente no terremoto no Haiti.

Segundo a ONU, essa redução geral ocorreu, em parte, pela implementação de medidas de prevenção feitas pelos países.

Furacão Patrícia

O relatório cita o caso do México durante o furacão Patrícia, o maior já registrado até hoje, com ventos de 346 km/h. O sistema de alarme precoce permitiu a retirada maciça da população na área atingida pela tempestade.

Do lado negativo, o chefe do escritório da ONU, Robert Glasser, afirmou que 2015 foi o ano mais quente da história, causado pela mudança climática e pelo El Niño.

Seca

Glasser disse que "a tendência que mais preocupa foi a duplicação dos casos de seca no mundo". Mais de 50 milhões de pessoas foram atingidas de alguma forma por esse problema no ano passado, o que representa um aumento de 40%.

No caso das enchentes, elas afetaram 27,5 milhões em 2015 comparado com mais de 81 milhões há uma década.

Leia mais

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos