Giro UOL traz os destaques da manhã desta sexta, 04/03, para você; ouça

Thomaz Molina

Do UOL, em São Paulo

Operação na casa de Lula 

Ex-presidente Lula é levado pela Polícia Federal para prestar depoimento. A PF realiza nova fase da operação Lava Jato no prédio do ex-presidente e do filho Fábio Luíz Lula da Silva, também conhecido como Lulinha. Também tem agentes da PF no Instituto Lula e na Odebrecht.

A ação é realizada um dia depois de ser revelado um acordo de delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT-MS). O parlamentar disse que Lula mandou comprar o silêncio de Nestor Cerveró e de outras testemunhas.

Leia mais

 

Delação aumenta pressão, segundo PMDB 

A ala do PMDB que defende o afastamento da presidente Dilma acredita que, se homologada pelo STF, a delação do senador Delcídio do Amaral vai resultar 'na mais robusta peça de impeachment' já formulada contra a petista, o que deve empurrar o restante da sigla para a oposição.

O grupo da sigla que ainda oferece suporte ao governo reconheceu que, se for confirmado o envolvimento da presidente com o escândalo de corrupção na Petrobras, isso vai acabar com o discurso que vem sendo usado por ela contra o impeachment: o de que, pessoalmente, está fora de qualquer suspeita.

Leia mais

 

Para advogados, vazamento não invalida delação 

Mesmo que o acordo de delação fechado pelo senador Delcídio do Amaral não seja confirmado pelo STF, integrantes do Supremo avaliam que os depoimentos prestados pelo petista vão continuar tendo validade para as investigações da Lava Jato.

Uma das estratégias do Planalto é dizer que o vazamento da delação é crime, o que pode anular a homologação do conteúdo pelo Supremo Tribunal Federal.

Leia mais

 

Oposição também teme delação 

O PSDB decidiu partir para o ataque ao senador Delcídio do Amaral depois de receber informações de que ele pode envolver líderes do partido que teriam participado de negociações para serem excluídos de investigações na CPI do mensalão.

De acordo com a colunista Mônica Bergamo, integrantes da Lava Jato decidiram vazar a delação porque o senador ameaçava recuar das declarações já feitas.

Leia mais

 

Dilma xinga Delcídio 

A presidente Dilma Rousseff convocou uma reunião de emergência depois do vazamento da suposta delação de Delcídio do Amaral. Nervosa, ela xingou o senador petista e ordenou a divulgação de uma nota.

Assinado por ela, o texto afirma que o governo 'repudia o uso abusivo de vazamentos como arma política'.

Leia mais

 

Operação Lava Jato 

O juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da operação Lava Jato, decretou a prisão preventiva de João Santana, marqueteiro do PT, e da mulher, Mônica Moura, detidos na semana passada. Assim, o casal vai permanecer preso por tempo indeterminado.

Santana é suspeito de receber pagamento no exterior da Odebrecht e de lobista. A defesa do casal nega as acusações e alega que o dinheiro recebido pelo marqueteiro provém de trabalhos em eleições de outros países.

Leia mais

 

O discurso de Temer 

Em viagem ao Nordeste, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) falou sobre a atual crise econômica vivida pelo país e disse que 'não adianta tapar o sol com a peneira' e que é necessário ousadia para sair da situação ruim.

Temer aproveitou o discurso para voltar a afirmar que o PMDB vai ter candidato próprio à Presidência em 2018. 'O PMDB tem muitas figuras de destaques' que podem ser candidatas a presidente, disse o vice.

Leia mais

 

Número de mortes suspeitas aumenta em SP     

Número de mortes suspeitas aumenta 51% no Estado de São Paulo entre 2012 e 2015. A polícia paulista registrou 60.049 ocorrências com essa classificação no período, de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública.

Esses registros, que não fazem parte das estatísticas divulgadas todos os meses pela gestão Alckmin, vêm crescendo ano a ano, na contramão dos casos de homicídio, que acumulam quedas nos balanços usados como bandeira do governo na área da segurança pública.

Leia mais

 

No sufoco, mas venceu 

O Palmeiras sofreu, mas venceu o Rosario Central, da Argentina, por 2 a 0 e assumiu a liderança do Grupo 2 da Libertadores, com 4 pontos em dois jogos.

O argentino Cristaldo marcou para o Palmeiras no primeiro tempo. O time argentino teve a chance de empatar na segunda etapa, mas Fernando Prass defendeu uma cobrança de pênalti. No fim do jogo, o meia Allione fechou o placar.

Leia mais

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos