Topo

Conheça o método de checagem e a política de correções do UOL Confere

Do UOL, em São Paulo

21/07/2021 11h00Atualizada em 07/01/2022 15h16

O UOL Confere é a divisão do UOL para checagem e esclarecimento de fatos. Tendo como norte os Princípios Editoriais presentes no Manual de Redação da Folha e o Código de Princípios da IFCN (International Fact-Checking Network, rede que reúne veículos especializados em checagem ao redor do mundo), o UOL Confere e os jornalistas que o integram respeitam os seguintes parâmetros:

  • Independência;
  • Pluralismo;
  • Apartidarismo;
  • Interesse público;
  • Transparência em relação às fontes consultadas;
  • Transparência sobre financiamento e equipe;
  • Metodologia transparente;
  • Compromisso com uma política de correções clara.

A seguir, saiba mais sobre nosso método de checagem. Sugestões de conteúdos para checagem podem ser enviadas para o email uolconfere@uol.com.br.

Como escolhemos o que vai ser checado?

Desinformação é todo conteúdo que tenta deturpar a realidade. O volume de potencial desinformação que circula em meios públicos e privados é imensurável, e nenhuma equipe de checagem poderia dar conta de analisar todo este conteúdo. Sendo assim, o UOL Confere seleciona os conteúdos a serem checados de acordo com os seguintes critérios:

  • O conteúdo é checável?

Não checamos opiniões e previsões. Ocasionalmente, o UOL Confere pode publicar conteúdos explicativos que ajudem a entender a disseminação de discursos de desinformação.

  • Quem falou ou compartilhou?

O UOL Confere aplica seus padrões de checagem a qualquer assunto ou responsável pela desinformação. Ao mesmo tempo, o UOL Confere avalia que deve dedicar a maior parte de seus esforços a identificar e combater a desinformação disseminada por ocupantes de cargos públicos, principalmente os eletivos, devido à relevância que é própria deste tipo de posição.

  • Qual a relevância do conteúdo?

A relevância do conteúdo pode ser determinada por quem é a fonte da desinformação; o alcance obtido pelo conteúdo; a importância do assunto do conteúdo no momento em que ele circula; e a urgência do tema, principalmente em casos que envolvem potenciais danos reais a quem recebe o conteúdo incorreto.

  • A potencial desinformação foi amplamente disseminada?

A avaliação da relevância em relação ao alcance do conteúdo deve levar em conta que uma checagem deve evitar o risco de espalhar algo que pouca gente viu. Sendo assim, nem sempre publicaremos checagens de conteúdos que estejam circulando em grupos pequenos de pessoas. Uma medida objetiva para isso é verificar o número de compartilhamentos que o conteúdo alvo da checagem teve nas redes sociais.

Como é o nosso processo de checagem?

Depois da escolha do conteúdo a ser checado com base nos critérios descritos acima, o UOL Confere dá prioridade à consulta de fontes públicas e confiáveis para verificar se o conteúdo está correto ou não. Com o uso deste tipo de fonte, quem lê as checagens também pode acessar as mesmas informações que nós acessamos.

Fazemos entrevistas com especialistas para aprofundar a compreensão sobre um assunto ou verificar o que não for possível checar ou entender por meio de fontes públicas. Também consultamos checagens e reportagens feitas por outros veículos dentro e fora do Brasil. Em todos os casos, as fontes utilizadas sempre serão mencionadas.

Como regra, não usamos informações de fontes que não se identificam ou que pedem para não ser identificadas. Exceções serão avaliadas caso a caso e se três condições forem atendidas: se a fonte alegar que sua identificação pode trazer riscos a ela; se a informação obtida pela fonte não puder ser obtida de nenhuma outra forma; e se a fonte puder indicar meios de provar, de formas que não dependam apenas dela, que sua informação é fidedigna.

As checagens da veracidade de fotos e vídeos usam ferramentas de busca reversa, como a busca por imagens do Google e a extensão InVid; e ferramentas que permitem verificar dados sobre uma fotografia, como a Exif Viewer. Estas ferramentas são públicas. De forma complementar, buscamos pistas nas imagens que nos permitam entrar em contato com pessoas que presenciaram o acontecimento retratado e podem nos fornecer informações adicionais.

Antes da publicação, todas as checagens são revisadas por um editor. As checagens serão classificadas nas seguintes categorias:

  • Falso: a categoria se aplica a conteúdos desmentidos de forma objetiva por informações consultadas junto a fontes confiáveis, de preferência públicas.
  • Insustentável: usada apenas para declarações. Se aplica quando não há nenhum dado público que possa sustentar a alegação checada.
  • Sem contexto: conteúdos que omitem informações importantes para serem entendidos corretamente.
  • Distorcido: usada para conteúdos verdadeiros que são retirados de seu contexto original com o objetivo de enganar quem os recebe.
  • Verdadeiro: usada quando verificamos que o conteúdo é factualmente correto depois de confrontado com fontes públicas e confiáveis.

A metodologia de checagem do UOL Confere tem como referências pesquisas da First Draft, organização internacional de pesquisa e combate à desinformação, e as metodologias adotadas por iniciativas de checagem nacionais e internacionais, como Aos Fatos, Chequeado, Estadão Verifica, Fact Checker (do jornal americano Washington Post), Lupa, Maldita.Es, PolitiFact e Projeto Comprova (do qual o UOL faz parte).

Política de correções

Reclamações sobre erros podem ser feitas por meio do botão "Comunicar Erro", que está disponível no pé de todos os conteúdos do UOL. Este canal disponibiliza um formulário para recebermos alertas sobre erros de informação, erros técnicos ou erros de português. Outras demandas podem ser encaminhadas para o email uolconfere@uol.com.br.

Assim como ocorre com os comunicados de erro sobre conteúdos de outras áreas do UOL, todos os comunicados de erro enviados para o UOL Confere serão analisados pela equipe com a maior agilidade possível. Caso a equipe do UOL Confere avalie que o comunicado de erro procede, o conteúdo será corrigido e uma errata será feita. As erratas ficam disponíveis no mesmo link em que o erro foi detectado, junto com uma explicação sobre a correção feita e o horário da alteração, no botão "Erramos: este conteúdo foi alterado", disponível no topo do conteúdo corrigido.

Quem somos

Bernardo Barbosa é editor-assistente do UOL Confere. Foi repórter do UOL e passou pelas redações do Aos Fatos, CNN Brasil, O Globo e agência Efe.

Rayanne Albuquerque é repórter do UOL Confere e mestre em Comunicação. Foi redatora do UOL e passou pelas redações do iG, Diário de Pernambuco, TV Jornal e Folha de Pernambuco, além de ter colaborado com o Projeto Comprova.

O UOL Confere também publica, ocasionalmente, conteúdos produzidos por outros jornalistas da redação do UOL e por jornalistas que colaboram com o UOL. Todos seguem a metodologia explicada acima e, de acordo com os Princípios Editoriais do Manual de Redação da Folha, devem "manter atitude apartidária, desatrelada de governos, oposições, doutrinas, conglomerados econômicos e grupos de pressão".

O UOL Confere é integralmente financiado por recursos do próprio UOL, a maior empresa brasileira de conteúdo online, serviços digitais e tecnologia. Saiba mais sobre o UOL aqui.

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Conheça o método de checagem e a política de correções do UOL Confere - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL


Últimas notícias