UOL Notícias Notícias
 

30/09/2002 - 18h26

FHC critica "falsa" mudança e faz apelo emocional pró-Serra

BELO HORIZONTE (Reuters) - Num discurso inflamado, o presidente Fernando Henrique Cardoso fez nesta terça-feira uma defesa irrestrita da candidatura de José Serra à Presidência e lançou uma bateria de ataques contra os adversários.

FHC condenou o que seria a mudança apenas aparente do candidato Luiz Inácio Lula da Silva, líder nas pesquisas de intenção de voto, e mandou um recado ao povo brasileiro para que vote nos candidatos tucanos, o que seria uma forma de garantir os "avanços" obtidos nos seus oito anos de mandato. "Infelizmente, estamos cheios de ptolomaicos na nossa política, de pessoas que não entenderam o que mudou no Brasil, o que mudou no mundo, e propõem como futuro o passado", declarou o presidente, numa referência aos seguidores de Ptolomeu, astrônomo grego que acreditava que o sol girava em torno da Terra.

"Passado do qual não fazem nem sequer a crítica e se dão ao luxo simplesmente de dizer: 'Eu mudei'. Mas mudou para que direção?", questionou Fernando Henrique, arrancando uma estrondosa salva de palmas das cerca de 500 pessoas que lotavam o auditório de um hotel em Contagem, Grande Belo Horizonte.

"Mudar é outra coisa. É ter outra concepção na cabeça. Não é ser mais sorridente, não é trajar melhor ou pior. Não é simplesmente ter uma maneira mais agradável", disse o presidente, numa clara alusão a Lula, da coligação liderada pelo PT e que tem adotado posturas mais moderadas na sua quarta campanha à Presidência.

FHC elencou as qualidades de Serra, que aparece em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, mas que corre o risco de ser derrotado ainda no primeiro turno da corrida presidencial. O presidente lembrou que se elegeu duas vezes vencendo em São Paulo e em Minas Gerais, o primeiro e o segundo maiores colégios eleitorais do país.

"É por isso que eu vim a Minas, para dizer ao país que a decisão do país não é uma decisão simples e não é uma decisão que pode ser levada só pela emoção. E eu tenho muita emoção. Não falo disso com frieza, não, porque está em jogo o futuro dos meus netos", falou com a voz embargada, mas firme, o presidente.

"Eu não quero que o Brasil recue. Eu quero que a partir de Minas mandemos um recado firme: Nós não vamos perder os avanços obtidos, vamos continuar avançado firmes, com o Serra, com a Rita, com o Aécio, com o Eduardo Azeredo. Nós vamos deixar um legado aos nossos netos", disse.

Além de Serra, compareceram ao ato político a vice na chapa, a deputada Rita Camata (PMDB-ES), o candidato tucano ao governo de Minas, Aécio Neves, que deve vencer no primeiro turno, e o candidato do partido ao Senado Eduardo Azeredo.

(Por Renata de Freitas)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h19

    0,27
    3,274
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h27

    -0,63
    63.683,77
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host