UOL Notícias Notícias
 

03/04/2006 - 15h26

EUA e Grã-Bretanha pressionam líderes iraquianos

Por Sue Pleming

BAGDÁ (Reuters) - Os Estados Unidos e a Grã-Bretanha intensificaram nesta segunda-feira a pressão sobre os líderes iraquianos para que ponham fim ao impasse sobre um novo governo e um novo primeiro-ministro o mais rapidamente possível, além de acabar com as milícias sectárias, para evitar guerra civil.

A secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, e o secretário das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Jack Straw, que iniciaram no domingo uma visita surpresa a Bagdá, disseram aos líderes iraquianos que a falta de um governo quase quatro meses depois das eleições mina a segurança.

"O povo iraquiano exige, com razão, um governo, depois de ter enfrentado com coragem as ameaças dos terroristas e ir votar", disse Rice em uma coletiva de imprensa conjunta na área fortificada conhecida como Zona Verde, onde fica o centro do governo e da diplomacia.

"De fato, os parceiros internacionais, em particular os Estados Unidos e a Grã-Bretanha, além de outros que têm forças de terra e fizeram sacrifícios aqui, têm um profundo desejo e, creio, o direito de esperar que esse processo continue avançando.

"Será, no fim das contas, o processo político que incapacitará os que querem usar a violência contra o povo iraquiano."

Horas depois de Rice e Straw terem partido, um carro-bomba explodiu perto de uma mesquita xiita em Bagdá, matando pelo menos 11 pessoas e ferindo 41, informaram fontes do Ministério do Interior.

Washington teme que o vácuo político aumente a instabilidade que mantém os soldados norte-americanos no país.

MORTES

Três fuzileiros navais e um marinheiro morreram em ação no domingo na província de Anbar, no oeste do Iraque, informaram na segunda-feira as Forças Armadas.

O ataque aconteceu depois que um helicóptero dos Estados Unidos foi derrubado no sábado ao sul de Bagdá. Os dois pilotos morreram.

Na segunda-feira, milícias iraquianas do Exército Rashedeen, que assumiu a autoria da derrubada do helicóptero dos EUA, divulgou um vídeo que aparentemente mostra partes dos destroços, disse a TV Al Jazeera. A Al Jazeera disse que não conseguiu confirmar a autenticidade do vídeo.

O vídeo mostrava o que parecia ser parte da fuselagem do helicóptero e o rotor sobre um campo.

Rice e Straw disseram que os governos estrangeiros não podem dizer aos iraquianos quem deve ser o seu próximo primeiro-ministro, mas que os responsáveis pelo apoio internacional ao Iraque devem ver progresso nesse sentido.

A visita dos dois e o tom de suas afirmações deixaram claro que o primeiro-ministro interino Ibrahim al-Jaafari não está atendendo a essas condições.

"Não se pode ter uma situação em que exista um vácuo político num país como este, que enfrenta tanta ameaça de violência", disse Rice. "É preciso que seja um líder forte, que se torne uma força unificadora e alguém que possa trazer estabilidade e atenda os desafios do povo iraquiano."

Jaafari foi nomeado como o próximo primeiro-ministro, mas o seu nome tem que ser confirmado. Straw disse que conversações políticas não farão progresso enquanto a questão de quem será o primeiro-ministro não for resolvida.

(Com reportagem de Mariam Karouny, Michael Georgy e Terry Friebl)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host