UOL Notícias Notícias
 

18/04/2006 - 15h39

Magnata russo vai para solitária após sofrer ataque na prisão

MOSCOU (Reuters) - O magnata russo Mikhail Khodorkovsky, preso por fraude e evasão de impostos, será transferido para uma solitária para sua própria segurança. Ele teria sido atacado por outro prisioneiro armado com uma faca, afirmou o chefe do sistema penitenciário russo na terça-feira.

Os advogados do magnata condenaram a medida, afirmando que ela é uma tentativa de isolar Khodorkovsky.

O milionário alega que só foi preso em retaliação ao fato de usar seu dinheiro para fazer oposição ao Kremlin. A equipe de advogados acusou a prisão de armar o ataque contra seu cliente.

Os advogados de Khodorkovsky disseram que ele precisou levar pontos após ser atingido na semana passada, enquanto dormia. Eles rebateram as informações divulgadas pela imprensa de que o ataque ocorreu porque Khodorkovsky deu em cima de um jovem companheiro de cela.

"Para parar com toda a especulação relativa ao condenado Khodorkovsky, incluindo a ameaça contra sua vida, decidimos transferi-lo para uma solitária", disse Yuri Kalinin, chefe do serviço prisional, de acordo com a agência Interfax. "Lá ele estará seguro".

Os advogados atacaram com veemência a alegação de Kalinin de estar apenas protegendo Khodorkovsky e compararam seu cliente com os dissidentes da era soviética, que eram perseguidos na prisão.

"Essa desculpa foi evidentemente inventada, já que o maior perigo para Khodorkovsky vem das autoridades, especialmente da administração da prisão", disse o advogado Yuri Shmidt num comunicado.

Khodorkovsky está cumprindo uma sentença de oito anos de prisão numa cadeia próxima à fronteira da Rússia com a China.

Kalinin afirmou que Khodorkovsky tinha alguma culpa no incidente com o companheiro de cela. As agências de notícias russas disseram que o jovem agiu para repelir um assédio sexual por parte do magnata.

"A administração da prisão elaborou uma declaração na qual (o condenado) informa do assédio sexual da parte de Khodorkovski e de outros detalhes sobre suas relações", disse a Interfax, citando uma fonte.

"É uma mentira total e óbvia. É difícil pensar numa mentira mais óbvia", disse o advogado Genrikh Padva à Interfax.

Khodorskovsky, que já foi considerado o homem mais rico da Rússia, fez fortuna nos anos 1990 ao obter o controle da YUKOS, uma das principais empresas da indústria petrolífera do país.

Detido em 2003 e condenado em maio do ano passado, ele teve um recurso rejeitado em setembro.

Khodorkovsky afirmou que as acusações faziam parte de um plano das autoridades do Kremlin para assumir o controle da YUKOS.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h29

    0,35
    3,168
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h39

    0,30
    74.668,73
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host