UOL Notícias Notícias
 

06/07/2006 - 08h49

Recontagem aponta vitória apertada de Calderón no México

Por Kieran Murray e Noel Randewich

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O candidato conservador à Presidência do México, Felipe Calderón, caminhava nesta quinta-feira para uma vitória apertada na disputa, apesar de seu rival esquerdista ainda poder contestar o resultado do pleito nos tribunais e nas ruas.

Sorridente, Calderón comandou seus simpatizantes em uma barulhenta festa realizada nos escritórios do Partido da Ação Nacional (PAN), onde pediu a seus adversários que esqueçam a acirrada e intensa batalha eleitoral responsável por levar o país à beira de uma crise política.

"Se a eleição ficou para trás, nossas diferenças têm de ficar para trás. Agora é hora de haver unidade e concordância entre os mexicanos", afirmou Calderón.

Mas o ex-prefeito da Cidade do México Andrés Manuel López Obrador, da esquerda, diz que as eleições de domingo foram marcadas por irregularidades e que pode contestar o resultado delas na Justiça.

Calderón, que estudou em Harvard, tinha 35,7% dos votos no processo de recontagem que já havia atingido 98,5% das urnas. Esse montante era apenas 0,2 ponto percentual maior que o obtido por Obrador, disse o Instituto Federal Eleitoral (IFE).

Calderón, de 43 anos, faria um governo alinhado aos EUA na América Latina, região que assistiu, nos últimos anos, a líderes de esquerda críticos aos norte-americanos tomarem posse na Argentina, na Bolívia, no Brasil, no Uruguai e na Venezuela.

Calderón prometeu investir contra os crimes violentos e o tráfico de drogas e criar milhões de empregos com a adoção de reformas pró-empresas, mais investimentos estrangeiros e uma ampliação do setor da construção civil.

Em cenas que lembraram as apurações na Flórida em meio à disputa presidencial dos EUA em 2000, um México dividido roía as unhas vendo López Obrador, um austero combatente da pobreza, liderar por horas a apuração antes de ser superado por Calderón.

BATALHA JURÍDICA

Autoridades eleitorais disseram que o nome do vencedor só seria declarado ao final do processo de recontagem, o que deve acontecer na quinta-feira. Mas a maior parte das urnas que restam para serem contadas vieram de áreas favoráveis ao candidato conservador.

A liderança dele era de cerca de 80 mil votos, uma vantagem bastante pequena em um país com mais de 100 milhões de habitantes.

Em vista dessa pequena diferença e dos meses de animosidade entre a esquerda e a direita durante a campanha, muitos temem que estão por vir semanas de batalhas jurídicas e de protestos de rua.

López Obrador liderou as pesquisas de intenção de voto na maior parte da campanha, mas Calderón diminuiu a diferença ao apresentar seu adversário como um perigo para a estabilidade da economia mexicana e ao ligá-lo ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, um adversário dos EUA.

O conservador venceu na primeira contagem dos votos realizada no começo desta semana.

O adversário dele denunciou irregularidades e protestos foram realizados na capital, afirmando que o esquerdista havia sido vítima de fraude.

López Obrador avisou que problemas surgiriam se a recontagem não fosse realizada de forma adequada. "A estabilidade do país está em jogo", afirmou, acrescentando que todas as urnas deveriam ser abertas e que todos os mais de 42 milhões de votos, contados.

O candidato da esquerda prometeu, se eleito, dar prioridade aos pobres implantando programas de assistência social. Espera-se que ele conteste na Justiça Eleitoral do México a vitória de Calderón.

A Justiça precisa tomar uma decisão sobre todas as disputas envolvendo a votação até 31 de agosto e declarar formalmente um vencedor até 6 de setembro.

O esquerdista deveria participar de uma entrevista coletiva às 8h30 (10h30 em Brasília). Os temores de que o México mergulhe em uma grande crise levaram o mercado de ações do país a cair 4 por cento na quarta-feira. O peso mexicano também sofreu uma queda.


MAIS

Obrador aponta irregularidades no resultado eleitoral no México

Celso Amorim está confiante em que "democracia vencerá" no México

Mercado mexicano exibe rali por possível vitória de Calderón

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host
  • FotosIMAGENS DO DIA
  • %>