UOL Notícias Notícias
 

17/07/2006 - 08h40

Helicópteros britânicos retiram 40 pessoas de Beirute

Por Kate Kelland

LONDRES (Reuters) - A Grã-Bretanha retirou cerca de 40 pessoas de Beirute com helicópteros militares nesta segunda-feira, em sua primeira medida do gênero desde o início dos bombardeios de Israel no Líbano. A retirada ocorre no momento em que navios da Marinha britânica se aproximam da costa libanesa para uma possível retirada dos cerca de 10 mil cidadãos britânicos que estão no país.

O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, prometeu agir o mais rápido possível para retirar mais britânicos do Líbano. Ele disse que a Grã-Bretanha quer criar uma "ponte aérea", usando helicópteros, para transportar pessoas em casos mais urgentes.

"Estamos com uma força de reação rápida em Beirute, observando com que rapidez podemos fazer isso", disse Blair durante a cúpula do G8 na Rússia.

"Estamos estudando todas as possibilidades para criar uma ponte aérea, embora isso seja complicado, obviamente em razão do que ocorreu no aeroporto de Beirute", afirmou.

"Mas faremos todo o possível, principalmente para retirar aqueles que mais precisam, da forma mais rápida possível".

Um porta-voz da chancelaria britânica em Londres disse que as pessoas evacuadas nesta segunda-feira em helicópteros Chinook da Força Aérea Real britânica eram sobretudo mulheres, crianças e pessoas que precisam de atendimento médico.

O chefe da política externa da União Européia, Javier Solana, que esteve em Beirute no domingo, estava também entre as pessoas levadas de helicóptero britânico ao Chipre.

A maioria dos retirados era composta de britânicos, mas havia também pessoas de dupla nacionalidade e cidadãos de outras nações européias.

Uma porta-voz do Ministério da Defesa disse haver entre 3,5 mil e 4 mil famílias britânicas registradas no Líbano, além de 10 mil pessoas com dupla cidadania.

O embaixador britânico no Líbano, James Watt, disse que o conselho aos cidadãos britânicos que ainda estão no país é que "fiquem preparados e se mantenham em segurança" até que seja possível uma grande evacuação.

Ele disse esperar que os navios da Marinha estejam prontos para começar essa retirada "dentro de um ou dois dias". A saída segura dos navios seria coordenada com Israel, assim como foi feito para os helicópteros nesta segunda-feira.

"Temos canais diretos com os israelenses.. e é normal permitir a passagem segura em emergências consulares como esta", disse Watt.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host