UOL Notícias Notícias
 

17/08/2006 - 10h56

Enchentes castigam Etiópia e matam ao menos 870 pessoas

ADIS-ABEBA (Reuters) - Equipes de resgate em helicópteros jogaram cordas para tirar, na quinta-feira, etíopes que estavam presos em telhados e árvores para escapar das enchentes, que já mataram perto de 900 pessoas e desalojaram dezenas de milhares.

As águas devastaram grandes áreas em todo o país africano desde o início do mês, enquanto serviços de emergência lutam para lidar com o número crescente de refugiados.

Depois que dois rios transbordaram matando 870 pessoas, a Etiópia advertiu que mais rios estão transbordando no norte, sul, leste e oeste do país, e que as maiores represas estavam perto de se romperem.

O grupo Médicos Sem Fronteiras (MSF) disse que as enchentes perto do Lago Tana, no norte do país, haviam desalojado 10 mil pessoas, mas que o número poderia crescer para 35 mil nas próximas semanas. "Cerca de 2 a 3 mil pessoas são retiradas por dia (das áreas ao redor do Lago Tana)", disse Manuel Lopez Iglesias, chefe do MSF, à Reuters.

Lopez disse que a situação não deve melhorar, já que a temporada de chuvas iria durar até setembro.

Na quinta-feira, o resgate disse ter salvado cerca de 6 mil pessoas no sul do país, onde o rio Omo transbordou no domingo, matando ao menos 364 pessoas.

Helicópteros foram enviados para a área, usando cordas para salvar milhares de agricultores isolados pelas águas.

A segunda nação mais populosa da África, a Etiópia apelou à ajuda internacional. Depois de sofrer uma seca no ano passado, chuvas pesadas vêm castigando o país nas últimas semanas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host