UOL Notícias Notícias
 

06/09/2006 - 15h04

Presidente do Irã pede ao Ocidente que siga o caminho de Deus

Por Parisa Hafezi

TEERÃ (Reuters) - O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, pediu na quarta-feira ao Ocidente que se volte para o caminho de Deus e afirmou que não fazer isso é jogar com o destino.

O Ocidente acusa o Irã de desenvolver armas nucleares, o que Teerã nega. Ahmadinejad diz que as acusações servem de pretexto para frear o desenvolvimento do país.

"Quem não responde ao convite (para seguir a vontade de Deus), como dissemos, não terá um bom destino", disse Ahmadinejad, um xiita devoto, apesar de não ser clérigo.

Os discursos deles costumam ser recheados por citações religiosas e impropérios ao Ocidente. Desta vez, ele negou que o país seja uma ameaça aos Estados Unidos e voltou a desafiar o presidente George W. Bush para um debate ao vivo pela TV.

"Vamos deixar que a humanidade escolha entre nós dois", afirmou ele em uma reunião para venerar o 12o imã xiita, que desapareceu no século 10, mas segundo seus seguidores voltará para implementar a justiça islâmica.

Washington diz que a proposta do debate televisivo serve apenas para desviar a atenção do impasse diplomático em torno do programa nuclear iraniano.

Em nota, o gabinete de Ahmadinejad insistiu na proposta, dizendo que ele está disposto a debater na Assembléia Geral da ONU e que Bush pode levar assessores se quiser.

Um funcionário da presidência disse à Reuters que o discurso de Ahmadinejad foi em parte uma resposta às acusações feitas na terça-feira por Bush de que "extremistas" xiitas submetem o Irã a "um regime de tirania", que apóia terroristas, desenvolve bombas atômicas e ameaça os Estados Unidos.

"Não ameaço ninguém, mas todo o universo o ameaça (Bush). A corrente de vida no universo se opõe a você, como se opõe à tirania", disse Ahmadinejad. "Nós nos opomos a que (Estados Unidos da) América e Grã-Bretanha pretendam se impor a todas as demais nações."

Em cartas que enviou neste ano a Bush e à chanceler alemã, Angela Merkel, Ahmadinejad atribuiu muitos dos problemas mundiais aos líderes que não seguem os ensinamentos divinos.

"O tempo do uso da força já passou. Toda a discriminação, as guerras e os problemas têm sua raiz nesse espírito arrogante, e a idéia da 'Mahdaviat' se opõe a essa escola de pensamento", disse Ahmadinejad.

Mahdaviat é o conceito da crença no 12o imã, também conhecido como Mahdi, a quem Ahmadinejad sempre se refere em seus discursos desde que chegou à presidência, em 2005.

Sua crença em Mahdi irrita alguns observadores, porque uma escola de pensamento, baseada em uma sociedade secreta, acredita que a volta do 12o imã será apressada pelo caos no mundo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h39

    0,42
    3,160
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h48

    -0,23
    68.433,87
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host