UOL Notícias Notícias
 

08/09/2006 - 19h08

ONU diz que é hora de concessões nas negociações de Kosovo

VIENA (Reuters) - A Organização das Nações Unidas (ONU) disse na sexta-feira à Sérvia que chegou a hora de fazer concessões nas negociações sobre o futuro da província separatista de Kosovo, após sete meses de discussões quase infrutíferas.

O representante-adjunto da ONU para a região, Albert Rohan, fez o apelo depois de mais uma rodada de negociações diretas entre a Sérvia e os líderes da maioria étnica albanesa de Kosovo, em Viena. O Ocidente quer um acordo neste ano, e os albaneses pressionam para ficarem independentes de Belgrado.

"A má notícia é que não houve muito progresso", disse Rohan em entrevista coletiva. "Discutimos de tudo, e chegou a hora de concessões."

Os dois dias de reuniões estiveram voltados para o auto-governo da minoria sérvia de Kosovo e para a proteção da rica herança cristã ortodoxa na província, de maioria muçulmana. As chamadas questões técnicas dominam as discussões por enquanto.

Rohan disse que os albaneses "realmente se mexeram" a respeito dessas questões, mas que "o mesmo infelizmente não é o caso para a outra parte".

Legalmente parte da Sérvia, Kosovo é governada pela ONU desde 1999, quando a Otan bombardeou a então Iugoslávia para expulsar as forças sérvias acusadas de realizarem uma limpeza étnica na província, que na época já vivia dois anos de guerra civil entre o governo e os separatistas.

Cerca de 10 mil albaneses morreram e 800 mil foram expulsos. Uma onda de retaliações após a guerra fez com que cerca de metade da população sérvia fugisse. Os 100 mil que ficaram se sentem marginalizados e ameaçados, alvos de uma violência esporádica.

Sob pressão para provar seu compromisso com os direitos das minorias, os negociadores albano-kosovares se desdobraram para dar aos sérvios garantias de uma vida melhor, segundo diplomatas. Mas Belgrado quer mais.

Diplomatas ocidentais dizem que provavelmente Kosovo terá alguma forma de independência, com ou sem consentimento sérvio.

Se não houver acordo, o representante máximo da ONU, Martti Ahtisaari, pretende estabelecer pelo menos alguns critérios para melhorar a vida dos sérvios de Kosovo e proteger as igrejas e monastérios ortodoxos da região.

Fontes da ONU dizem que as discussões técnicas esbarraram na questão do número, do tamanho e dos poderes dos novos municípios sérvios a serem criados, e no papel de Belgrado em dar apoio a eles. "Houve vários pequenos avanços, mas não um grande salto", disse Rohan.

Ahtisaari vai na próxima semana a Nova York para uma série de reuniões na sede da ONU. Fontes próximas a ele dizem que o ex-presidente finlandês fará sua proposta em novembro. As negociações em Viena serão retomadas no próximo dia 15.

(Mark Heinrich)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host