UOL Notícias Notícias
 

17/10/2006 - 14h42

Ministra apresenta a Al Gore projeto contra desmatamento global

SÃO PAULO (Reuters) - A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, apresentou nesta terça-feira ao ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore, em São Paulo, uma proposta brasileira de incentivos a países em desenvolvimento que reduzirem seus índices de desmatamento.

Al Gore está no Brasil para divulgar seu filme e livro "Uma Verdade Inconveniente", sobre o impacto do aquecimento global nas mudanças climáticas. Ainda na terça, em São Paulo, ele dará uma palestra sobre o tema e participará da entrega do prêmio Eco, que reconhece empresas comprometidas com o desenvolvimento sustentável.

"O ex-vice-presidente dos EUA foi bastante simpático à proposta brasileira. Ele, que tem compromisso público e militância respeitada em todo o mundo com essa causa, deve analisá-la e, talvez, possa se tornar um aliado dela", disse Marina Silva ao final do encontro, segundo o site do ministério.

O projeto brasileiro sobre incentivos será apresentado oficialmente durante a 12a Conferência das Partes da Convenção sobre Mudanças Climáticas, em Nairóbi, no Quênia, em novembro.

Segundo a proposta, seria criado um fundo financiado voluntariamente por países ricos para beneficiar os países em desenvolvimento que reduzirem, também de modo voluntário, seus índices de desmatamento de acordo com referências pré-estabelecidas.

Após o encontro com Al Gore, Marina Silva conversou com jornalistas e descartou mais uma vez a possibilidade de participação estrangeira no gerenciamento da floresta amazônica brasileira.

"A Amazônia não está à venda. Temos o mecanismo correto e adequado, apresentados a partir da nossa soberania, de nossos esforços e de nossas metodologias, para combater o desmatamento", disse a ministra.

O assunto também foi tema de um artigo publicado nesta terça-feira no jornal Folha de S. Paulo, assinado em conjunto por Marina, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, e o ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Machado Rezende.

Segundo os ministros, "surgiram no exterior iniciativas com o objetivo de adquirir terras na Amazônia para fins de conservação ambiental ligadas à preocupação com o fenômeno da mudança do clima e ao possível papel do desmatamento nesse processo". Mas ressaltaram: "A Amazônia é um patrimônio do povo brasileiro, e não está à venda."

(Por Fernanda Ezabella)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h29

    0,30
    3,167
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h36

    0,55
    74.853,95
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host