UOL Notícias Notícias
 

21/11/2006 - 15h36

Ex-espião russo pode ter sido vítima de veneno radioativo

Por Kate Kelland

LONDRES (Reuters) - Um ex-espião russo que estava em estado grave num hospital britânico pode ter sido envenenado por uma substância radioativa, disse na terça-feira o toxicologista que está tratando do caso dele.

A Rússia chamou de "absurdas" as acusações de que seus agentes possam ter envenenado o ex-espião Alexander Litvinenko, 41, um crítico mordaz do presidente Vladimir Putin. Amigos de Litvinenko afirmam acreditar que ele tenha sido vítima de uma trama do Kremlin.

O ex-espião está internado na unidade de terapia intensiva de um hospital londrino, com envenenamento por tálio, um elemento químico que pode provocar uma morte lenta e dolorosa, mesmo com tratamento.

A polícia antiterrorismo da Grã-Bretanha está investigando o caso, que pode ter graves consequências diplomáticas. Se for comprovado que Moscou teve alguma participação no envenenamento, será o primeiro incidente do tipo no Ocidente desde a Guerra Fria.

A ministra das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Margaret Beckett, disse que não havia levado o caso a Moscou. A rede de espionagem russa SVR voltou a negar envolvimento.

"Não temos absolutamente nenhum interesse em nos ocupar de atividades como essas. É claro que toda pessoa tem seu valor, mas essa pessoa não é valiosa o bastante ... para envenenar o clima de boas relações entre Moscou e Londres", disse Sergei Ivanov, porta-voz da SVR. "Que Deus lhe dê saúde."

O toxicologista John Henry, que está tratando Litvinenko, disse acreditar que o tálio possa ter sido usado numa formulação radioativa. "O senhor Litvinenko possui sistemas coerentes com o envenenamento por tálio, e também possui sintomas coerentes com algum outro tipo de envenenamento -- portanto não é 100 por cento tálio", disse Henry a repórteres diante do hospital. "Pode ser tálio radioativo."

Litvinenko disse que se sentiu mal há três semanas, depois de se encontrar com uma fonte num restaurante japonês de Londres, quando investigava o assassinato da jornalista Anna Politkovskaya, que também criticava Putin e que foi morta em seu apartamento em Moscou no mês passado.

Henry disse que Litvinenko aparentemente ingeriu o veneno. Segundo ele, talvez os médicos jamais saibam a composição do veneno. "Se foi um veneno radioativo com uma meia-vida curta, já pode ter sido eliminado."

O toxicologista disse que ainda é cedo para dizer se o ex-espião vai sobreviver. "No momento ele não está melhorando, mas está resistindo."

Em Moscou, o deputado comunista Viktor Ilyukhin disse à Reuters que há muitas versões circulando sobre o envenenamento. "Eu não descartaria a possibilidade de os serviços especiais russos terem se enchido da falação de Litvinenko", disse ele. O deputado afirmou também que os adversário de Putin podem estar se aproveitando do caso para desacreditá-lo e ao Kremlin.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host