UOL Notícias Notícias
 

13/12/2006 - 19h35

Congresso decide quinta-feira aumento para parlamentares

Por Natuza Nery

BRASÍLIA (Reuters) - Em meio à campanha para a presidência da Câmara e do Senado, as mesas diretoras das duas Casas convocaram para quinta-feira, ao meio-dia, uma reunião com o colégio de líderes para decidir o aumento conjunto de salários de deputados e senadores.

Caso confirmado, o aumento interfere nas disputas e tende a beneficiar as campanhas à reeleição do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) e do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), já que o reajuste é uma reivindicação antiga da maioria dos parlamentares.

"Vamos discutir à luz do dia e de uma vez por todas decidir esta questão. Mas não é uma decisão das presidências da Câmara e do Senado. É uma decisão conjunta das duas Casas", disse Renan Calheiros.

"Eu creio que só devemos dar o reajuste com corte correspondente dos gastos na Câmara", defendeu Aldo Rebelo.

De acordo com dados da diretoria administrativa da Câmara, na gestão de Aldo Rebelo foram economizados cerca de 150 milhões de reais, que vão do corte de despesas com publicidade à desistência de construir mais um anexo de gabinetes e à eliminação de 1.130 cargos comissionados.

Há duas propostas em negociação. A que equipara o vencimento dos parlamentares ao salário de ministro do Supremo Tribunal Federal, de 24.600 reais, ou o reajuste corrigido somente pela inflação, que daria cerca de 16.500 reais.

"É preciso reconhecer que há uma defasagem na atual remuneração dos parlamentares e que o reajuste significa também garantir o exercício do mandato, a independência, o que tornará a Casa menos vulnerável a escândalos de corrupção que não podem mais protagonizar a agenda do Congresso Nacional Brasileiro", afirmou o deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (PFL-BA).

Alguns deputados propõem o aumento para 24.600 reais, mas com a eliminação do pagamento da verba indenizatória de 15.000 reais para sustentar os escritórios dos parlamentares nos Estados. Esta medida, no entanto, não tem consenso.

Tanto deputados quanto senadores recebem salário mensal de aproximadamente 12,8 mil reais, além de verbas para contratação de funcionários, cotas de passagens aéreas, telefônicas e de postagem.

"Nós vamos encaminhar posição contrária à equiparação com o STF, que dá um reajuste de 90 por cento. A razoabilidade indica que a recuperação da inflação dos últimos 4 anos é mais adequada", disse o líder do PT na Câmara, deputado Henrique Fontana (RS).

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h39

    0,26
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h45

    -0,36
    75.120,06
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host