UOL Notícias Notícias
 

26/12/2006 - 23h12

PF pede prorrogação de inquérito contra Abel Pereira

CUIABÁ (Reuters) - A Polícia Federal anunciou nesta terça-feira que pediu a prorrogação do inquérito que investiga a suposta participação do empresário Abel Pereira na máfia das sanguessugas. A PF anunciou, também nesta terça, que recebeu os dados do sigilo bancário do empresário.

O delegado Diógenes Curado Filho, que recebeu as informações na última sexta-feira, aguarda agora a análise dos dados para dar andamento às investigações.

Curado solicitou também documentos às juntas comerciais de São Paulo e de Minas Gerais das empresas pelas quais Abel Pereira, que atua na construção civil em Piracicaba (SP), teria recebido dinheiro para supostamente facilitar a liberação de emendas parlamentares para a compra superfaturada de ambulâncias pelo Ministério da Saúde.

O empresário, que nega as acusações, é investigado porque os proprietários da empresa Planam, Luiz Antônio Vedoin e Darci Vedoin, informaram à polícia ter pago a Pereira 15 cheques de empresas da família no valor total de 601,2 mil reais.

"Vamos ver se confirma o pagamento em média de 6,5 por cento das emendas que o Vedoin diz", afirmou a jornalistas o assessor da PF em Mato Grosso, Paulo Roberto Gomes.

Pereira teria ligações com o ex-ministro da Saúde na gestão Fernando Henrique Cardoso e atual prefeito de Piracicaba Barjas Negri. O possível pagamento para liberar emendas parlamentares teria ocorrido na gestão do ex-ministro, em 2002. O prefeito nega tal operação.

Para esclarecer a história, a Polícia Federal quer saber quem são os donos das empresas Kanguru Factoring Sociedade de Fomento Mercantil, de São Paulo; Datamicro Informática, de Governador Valadares (MG); e Império Representações Turísticas, de Ipatinga (MG). Vedoin alega que Pereira utilizou essas empresas para receber os recursos.

A família Vedoin, da empresa pivô do escândalo dos sanguessugas, conheceu Pereira há quatro anos por meio do ex-prefeito de Jaciara (MT), Valdizete Martins Nogueira. O ex-prefeito é um dos que serão interrogados pela PF com a possível prorrogação do inquérito.

"Tem outras pessoas a serem ouvidas que foram mencionadas no depoimento do Luiz Antonio e Darci Vedoin", disse o assessor da PF.

(Por Jonas da Silva)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host