UOL Notícias Notícias
 

08/02/2007 - 20h35

Mantega descarta controle de capital como propõe parte do PT

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta quinta-feira considerar "inadequado" impor um controle de capitais no país, conforme sugestão apresentada por afiliados do PT, incluindo o ministro Tarso Genro (Relações Institucionais).

"Para o atual sistema financeiro é inadequado você fazer esse controle porque onde se verificam os movimentos, as operações cambiais, não é mais no mercado à vista, é no mercado futuro. E no mercado futuro não entra nada, o capital físico não entra, você faz uma operação em reais", afirmou Mantega a jornalistas ao deixar o prédio do ministério.

Em nota entitulada "Mensagem ao Partido", publicada no site do Partido dos Trabalhadores nesta quinta-feira, 217 signatários defenderam "um novo padrão de gestão monetária e cambial pelo Banco Central", com o "controle da entrada e saída do capital de curto prazo".

"Não adianta, você pode fechar as portas, fazer restrições e não terá o resultado esperado", disse Mantega. "Você faz uma restrição à entrada de capital estrangeiro, você paga o preço disso, porque evidentemente isso tem um custo, e ao mesmo tempo não ganha nada com isso."

O ministro acrescentou que a continuidade da redução da taxa de juro é que fará diminuir o fluxo de recursos para o país.

Questionado se, para reduzir a pressão sobre o câmbio, o governo cogita ampliar o volume de receitas que os exportadores podem deixar de trazer para o país, Mantega negou.

Segundo o ministro, os exportadores não têm sequer utilizado a margem de 30 por cento de receitas que já pode ser deixada no exterior. "Eles trazem dólares para o Brasil porque aplicar em real dá mais do que aplicar em dólar... Então, nesse caso também os juros atrapalham um pouco a eficiência desse instrumento."

Mantega defendeu ainda o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), rechaçando críticas feitas pela Confederação Nacional da Indústria.

REUNIÃO DO G7

A assessoria do ministro informou que, a pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Mantega não irá à reunião de ministros de Finanças do G7 (grupo dos sete países mais industrializados do mundo) que começa nesta sexta-feira, na Alemanha.

O Brasil, convidado a participar do evento junto com outros países em desenvolvimento como a Índia, será representado pelo secretário de Assuntos Internacionais do ministério, Luiz Eduardo Melin.

(Por Isabel Versiani)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host