UOL Notícias Notícias
 

13/03/2007 - 11h49

Magnata mexicano diz a Bush que EUA devem investir mais na AL

Por Chris Aspin

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O magnata mexicano Carlos Slim, o terceiro homem mais rico do mundo, pediu na segunda-feira que o presidente dos Estados Unidos incentive ainda mais os investimentos norte-americanos na América Latina, região onde George W. Bush vem batendo de frente com lideranças de esquerda.

Horas antes do início da visita de Bush ao México, Slim afirmou que um aumento dos investimentos na região poderia significar menos custos para as empresas dos EUA e um freio no fluxo de imigrantes que ingressam no território norte-americano, geralmente fugindo da pobreza.

"Os EUA deveriam investir mais e comprar mais da América Latina, transferindo uma boa parte de suas indústrias para nossos países", afirmou Slim em uma entrevista coletiva de quatro horas, entre uma baforada e outra de charuto.

Sua fortuna, amealhada com suas empresas de telecomunicações, varejo e industrial, soma, segundo a revista Forbes, 49 bilhões de dólares.

O empresário disse que as empresas norte-americanas poderiam construir grandes e modernos hospitais do lado mexicano da fronteira comum de 3.000 quilômetros.

"Isso poderia reduzir os gastos dos EUA com a área de saúde", afirmou Slim. Os salários mais baixos recebidos pelos mexicanos -- desde operários a enfermeiros -- significariam menores gastos com a manutenção dos hospitais e menores tarifas, acrescentou.

Slim, 67 anos, disse ainda que a cerca construída pelos EUA na fronteira comum a fim de tentar impedir a entrada dos imigrantes ilegais era um absurdo.

As políticas de imigração do governo norte-americano são vistas com maus olhos em grande parte da América Latina, tendo contribuído para que líderes como o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, conquistassem popularidade na região.

"Precisamos é da imigração legal, de acordos de imigração. E não apenas para os trabalhadores mais qualificados", afirmou Slim.

Na segunda-feira, na Guatemala, Bush disse querer, em agosto, avançar com a reforma das leis de imigração dos EUA. No México, Bush terá reuniões com o presidente Felipe Calderón nesta terça-feira, na cidade de Merida.

Esta será a última escala de Bush em sua recente visita a cinco países latino-americanos, uma viagem na qual se viu dura e constantemente criticado por seu grande rival na região, Chávez.

(Reportagem adicional de Monica Medel)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host