UOL Notícias Notícias
 

26/04/2007 - 08h33

Palestinos renovam trégua e exigem calma na Cisjordânia

Por Nidal al-Mughrabi

GAZA (Reuters) - Facções armadas palestinas renovaram nesta quinta-feira seus compromissos com a trégua na Faixa de Gaza, mas disseram que os ataques com foguetes a partir do território podem ser retomados se Israel não suspender as operações militares na Cisjordânia ocupada.

A mensagem foi passada a Israel por um mediador egípcio, que vem tentando evitar um grande confronto desde terça-feira, quando o braço armado do Hamas disparou foguetes e declarou o fim da trégua, disseram fontes palestinas.

O major-general egípcio Burhan Hammad "informou os israelenses sobre o novo compromisso das facções e, ao mesmo tempo, ressaltou que as facções exigem que a calma seja recíproca e simultânea, cobrindo Gaza e a Cisjordânia, disse uma das fontes próximas do tema.

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, e o presidente palestino, o moderado Mahmoud Abbas, concordaram com a trégua em novembro. Os disparos de foguetes de outros grupos, como a Jihad Islâmica e os Comitês Populares de Resistência, continuaram esporadicamente.

Abbas, da facção secular Fatah, que formou um governo de coalizão com o Hamas no último mês, classificou os disparos de foguetes na terça-feira de "evento excepcional" que não duraria, além de pedir comedimento por parte de Israel.

As Brigadas Izz el-Deen Al Qassam, do Hamas, disseram que os disparos foram uma resposta às mortes de nove palestinos em operações militares contra militantes, principalmente na Cisjordânia.

Depois de consultas de segurança na quarta-feira, Olmert decidiu contra o lançamento de uma ofensiva terrestre em Gaza, disseram fontes políticas israelenses. Mas seu gabinete disse em comunicado que Israel não hesitará em atacar esquadrões de lançamento de foguetes.

Em antecipação a uma ação militar israelense, homens armados do Hamas assumiram posições perto da fronteira de Gaza com Israel durante a noite, camuflando-se com folhas de árvores.

"O inimigo sionista deveria entender que qualquer pensamento de entrar na Faixa de Gaza abrirá os portões do inferno e centenas de foguetes serão lançados contra Sderot e Ashkelon (cidades do sul de Israel) e além delas", disse Abu Ubaida, porta-voz das brigadas.

Abu Abaida ameaçou também derrubar aeronaves militares israelenses que sobrevoarem a Faixa de Gaza.

Israel acenou com interesse em ampliar a trégua de Gaza para a Cisjordânia, mas somente se as ameaças militantes pararem antes.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host