UOL Notícias Notícias
 

01/06/2007 - 17h21

Irã fará alerta a europeus antes de cúpula do G8

Por Louis Charbonneau

BERLIM (Reuters) - Um alto funcionário iraniano vai se reunir na semana que vem em Berlim com representantes da Alemanha e da União Européia para alertar contra a imposição de punições ao Irã por sua atividade nuclear durante a cúpula de 6 a 8 de junho do Grupo dos 8 (G8), disseram diplomatas na sexta-feira.

Dois diplomatas afirmaram que o funcionário iraniano que iria à Alemanha é Javad Vaeedi, adjunto do negociador nuclear Ali Larijani.

A reunião será uma retomada das conversas desta semana em Madri entre Larijani e o chefe da política externa da UE, Javier Solana, que não gerou resultados sobre o essencial -- a recusa do Irã em suspender seu programa de enriquecimento como pré-condição para negociações sobre benefícios comerciais.

Mas o encontro não representa uma negociação sobre o programa nuclear, e seu caráter será extra-oficial.

Diplomatas disseram que o Irã pretendia usar a visita a Berlim para deixar claro que a cooperação iraniana com o Ocidente vai depender do resultado da cúpula do Grupo dos Oito em Heiligendamm, na Alemanha.

"Se (o G8) adotar uma posição mais dura, então a posição do Irã vai se tornar mais dura também", disse um diplomata envolvido na reunião de Madri entre Larijani e Solana.

Não está claro quando será o encontro, mas dois diplomatas afirmaram que ocorrerá antes da cúpula, que terá a Alemanha, atual presidente do G8, como anfitriã.

Diplomatas dizem que a questão do Iraque também pode ser mencionada no encontro de Berlim. Os Estados Unidos acusam o Irã de apoiar insurgentes no Iraque, o que a República Islâmica nega.

Nesta semana, chanceleres do G8 reunidos na Alemanha divulgaram uma dura nota alertando que o Irã vai enfrentar "novas medidas apropriadas" caso insista no programa de enriquecimento de urânio, contrariando ordens do Conselho de Segurança, que já impôs duas rodadas de sanções a Teerã.

O Ocidente acusa o Irã de desenvolver armas nucleares secretamente. Teerã afirma que o único objetivo é gerar eletricidade.

Um diplomata com acesso à inteligência disse que o Irã espera usar as conversações extra-oficiais para fazer Berlim "prestar apoio a uma solução provisória que não inclua uma suspensão plena".

Mas uma fonte do governo alemão disse, sob anonimato, que a chanceler Angela Merkel nunca aceitaria tal "solução provisória", mesmo que alguns funcionários do Ministério de Relações Exteriores possam flertar com a idéia.

"Ela não vai romper fileiras com os norte-americanos, franceses e britânicos, que querem uma suspensão total", disse a fonte.

Segundo Solana, porém, o Irã sinalizou mais disposição em cooperar com investigações da ONU sobre a natureza do seu programa.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host