UOL Notícias Notícias
 

23/04/2008 - 10h43

Chávez vê "massacre" contra pobres com preços de alimentos

CARACAS (Reuters) - A alta dos preços alimentícios é um "massacre" contra os pobres do mundo e está criando uma crise nutricional global, disse na terça-feira o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que qualificou a situação como um sinal do declínio do sistema capitalista.

Horas antes, o Programa Mundial de Alimentos da ONU havia comparado a alta dos preços alimentícios a um "tsunami silencioso", que estaria ameaçando mais de 100 milhões de pessoas nos cinco continentes.

"É um verdadeiro massacre o que está acontecendo no mundo", disse Chávez pela TV, citando estatísticas da Organização das Nações Unidas (ONU) a respeito das mortes causadas por fome e desnutrição.

"O problema não é a produção de alimentos, é o modelo econômico, social e político do mundo. O modelo capitalista está em crise", disse Chávez, aliado da Revolução Cubana que mantém uma alta popularidade em parte graças aos subsídios à alimentação dos venezuelanos mais pobres -- embora o país enfrente nos últimos meses um desabastecimento de produtos como leite e açúcar.

Em visita a Caracas na quarta-feira para encontrar Chávez e outros líderes de esquerda, o vice-presidente cubano Carlos Lage acusou os países desenvolvidos de provocarem a alta dos preços devido ao uso dos biocombustíveis.

"Os países desenvolvidos querem alimentar os carros dos ricos com comida -- este é o mundo irracional onde vivemos hoje", disse Lage, repetindo uma frequente acusação de Chávez, a de que os EUA estão provocando uma alta nos preços de produtos essenciais ao promoverem o uso mais intensivo do etanol, que lá é extraído do milho.

(Reportagem de Brian Ellsworth)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host