UOL Notícias Notícias
 

24/04/2008 - 22h51

Pastor de Obama diz que injustamente foi retratado como fanático

CHICAGO (Reuters) - O pastor de Barack Obama, reverendo Jeremiah Wright, disse em trechos de uma entrevista divulgada na quinta-feira que as pessoas que mostram vídeos de sermões raivosos estavam tentando retratá-lo como "algum tipo de fanático".

Wright, que se manteve em silêncio desde as repetidas transmissões pela TV no mês passado de segmentos de seus sermões, está prestes a se aposentar da Igreja Unida da Trindade de Jesus Cristo em Chicago, à qual o pré-candidato presidencial democrata se integrou há 20 anos.

Em imagens de sermões pregados por ele há alguns anos, Wright é visto dizendo que os ataques de 11 de setembro foram uma retribuição pelas políticas norte-americanas e condenou a postura dos EUA em questões raciais.

Em um momento ele grita aos ouvintes, "Deus abençoe a América? Não, Deus amaldiçoe a América".

"As pessoas que ouviram esse sermão inteiro entenderam a comunicação perfeitamente", disse ele à TV PBS em uma entrevista a ser transmitida na sexta-feira.

Aqueles que transmitem os fragmentos "estão comunicando exatamente o que eles querem fazer, que é me retratar como algum tipo de fanático".

Os vídeos estão na Internet há meses, mas geraram controvérsia quando noticiários da TV a Cabo começaram a mostrá-los no mês passado.

Inicialmente, Obama, que seria o primeiro presidente negro dos EUA, minimizou a retórica de Wright como a de um velho tio que às vezes diz coisas com que não dá para concordar.

Mas quando os fragmentos atraíram críticas e questionamento sobre se Obama os aprovava, ele se distanciou de Wright e criticou algumas das visões dele.

Wright, 66, não usou nenhum tom de desculpa na sua entrevista, dizendo estar perturbado por ser retratado como um símbolo da ira dos negros e que se sentiu usado para fins políticos. Ele não disse quem o teria utilizado.

"Eu acho que eles quiseram comunicar que eu não sou patriota, que não sou americano, que estou cheio de discurso de ódio, que eu tenho um culto na Igreja Unida da Trindade de Cristo. E, por falar nisso, quem vai a essa igreja", disse ele, referindo-se a Obama.

"Eu senti que foi injusto. Eu senti que foi inverdadeiro. Eu senti por aqueles que estavam fazendo isso, estavam fazendo isso por algumas razões muito erradas", afirmou Wright.

Na quinta-feira, o Partido Republicano na Carolina do Norte retirou uma propaganda crítica à relação de Obama com Wright depois de um pedido de John McCain, o candidato presidencial da sigla. McCain disse querer uma campanha respeitosa.

Perguntado sobre as críticas de Obama a ele, Wright afirmou ser compreensível, já que Obama é um político com um público diferente.

"Ele diz o que tem de dizer como um político. Eu digo o que tenho de dizer como pastor. Mas esses são dois mundos diferentes", disse ele, acrescentando que ele e Obama não discutem política.

(Reportagem de Andrew Stern)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h10

    0,44
    3,143
    Outras moedas
  • Bovespa

    15h16

    -0,58
    75.560,97
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host