UOL Notícias Notícias
 

09/02/2009 - 09h53

Casos de cólera no Zimbábue passam de 69 mil, diz ONU

HARARE (Reuters) - O número de pessoas atingidas pela cólera no Zimbábue subiu para mais de 69 mil, segundo dados da ONU, aumentando a pressão para que os líderes do país consigam por fim à crise humanitária depois de formarem um governo de coalizão.

A Organização Mundial de Saúde disse que a epidemia matou 3.397 pessoas de um total de 69.317 casos desde agosto. Esta é a maior epidemia a atingir a África em 15 anos.

A decisão do Movimento pela Mudança Democrática, de oposição, de criar um governo conjunto com o presidente Robert Mugabe pode dar às autoridades mais chances de conter a doença, que agravou ainda mais as dificuldades do país.

O sistema de saúde do Zimbábue entrou em colapso devido à crise econômica que deixou 8 entre 10 pessoas desempregadas. As pobres instalações médicas e sanitárias ajudaram a espalhar a doença.

Mais de metade do Zimbábue sobrevive com a comida fornecida por grupos humanitários. A população também sofre com a maior inflação do mundo, que atingiu mais de 231 milhões por cento em julho do ano passado.

O parlamento zimbabuano aprovou uma emenda constitucional na semana passada, permitindo a formação de um governo de coalizão entre Mugabe e seus rivais da oposição. Espera-se que o acordo ajude a encerrar a crise política e econômica.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,97
    3,127
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,99
    64.389,02
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host