UOL Notícias Notícias
 

13/03/2009 - 08h44

China pode gastar mais para crescer, diz premiê

Por Jason Subler

PEQUIM (Reuters) - O primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, manteve a perspectiva de um pacote de estímulo extra para ajudar a economia a alcançar meta de crescimento de 8 por cento neste ano e pediu que Washington diminua as preocupações que Pequim tem sobre a segurança das vastas reservas de ativos norte-americanos que possui.

Em sua conferência anual no parlamento, Wen disse que a meta de 8 por cento é uma medida da confiança do governo e reflete seu compromisso de continuar elevando o padrão de vida. Mas ele ressaltou que não será fácil.

"Eu acredito que haja alguma dificuldade em atingir essa meta. Mas com esforço, é possível", afirmou. "Apenas quando temos confiança podermos ter coragem e força, e apenas quando temos coragem e força podemos superar as dificuldades."

Wen desapontou os investidores há uma semana, ao não anunciar nenhum aumento no pacote de estímulo econômico do país, mas ele disse que os mercados esqueceram que o governo já está fornecendo alívios além do plano, como cortes de impostos, aumento das aposentadorias e dos salários dos professores.

"Preparamos munição suficiente e podemos lançar novas políticas de estímulo econômico a qualquer momento."

Wen disse que Pequim esperar ver resultados do plano de recuperação econômica do presidente norte-americano, Barack Obama, mas expressou preocupação de que o elevado déficit daquele país e a taxa de juro perto de zero possam diminuir o valor dos bônus dos Estados Unidos nas mãos da China.

A China é o maior detentor de dívida do governo norte-americano e investiu cerca de 70 por cento de suas reservas internacionais de 2 trilhões de dólares em ativos em dólar.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host