UOL Notícias Notícias
 

27/04/2009 - 14h31

PF indicia Daniel Dantas por crimes financeiros

SÃO PAULO (Reuters) - A Polícia Federal de São Paulo indiciou formalmente nesta segunda-feira o banqueiro Daniel Dantas pela prática dos crimes de gestão fraudulenta, formação de quadrilha, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e empréstimo vedado.

Verônica Valente Dantas, irmã do banqueiro, e quatro funcionários do Banco Opportunity também foram indiciados no inquérito da Operação Satiagraha por prática de crimes contra o sistema financeiro nacional.

Daniel Dantas chegou à sede da PF antes das 8h desta segunda-feira, acompanhado de seu advogado Andrei Schmidt. O advogado confirmou o indiciamento formal de Dantas.

Para o advogado, que representa Daniel Dantas e o Grupo Opportunity, o indiciamento de seus clientes foi arbitrário.

"Foi mais uma arbitrariedade cometida no inquérito da Operação Satiagraha", afirmou. "Orientei meus clientes a ficarem em silêncio até que tenhamos pleno acesso a documentos e autuações realizadas durante a investigação."

Segundo o advogado, Dantas somente falará "no momento oportuno" para se defender das acusações.

O banqueiro ficou cerca de 25 minutos na presença do delegado Ricardo Saadi, que comanda o inquérito da Operação Satiagraha.

De acordo com uma fonte da Polícia Federal, o indiciamento por lavagem de dinheiro levou em conta a prática de crimes antecedentes supostamente praticados por Dantas, que são crimes contra a administração pública, crimes praticados por organização criminosa, além de delitos contra o sistema financeiro nacional.

Daniel Dantas, que não respondeu a nenhuma pergunta do delegado, deixou a sede da PF paulista sem falar com a imprensa.

O banqueiro já responde a ação penal por crime de corrupção ativa na 6a Vara Federal Criminal da Justiça Federal de São Paulo.

A Polícia Federal deve concluir o inquérito até o final da semana que vem e enviá-lo ao procurador da República Rodrigo de Grandis.

"O indiciamento é importante porque é um indiciamento formal e evidencia a conduta delituosa da organização criminosa", disse o procurador.

De Grandis acompanhou o depoimento de Dantas, no início da manhã, mas afirmou que não estaria presente nas demais oitivas dos demais.

"Como o advogado dele (de Dantas) disse que seu cliente faria voto de silêncio, eu acompanhei o indiciamento feito pelo delegado e decidi que não acompanharei as outras oitivas", afirmou.

A expectativa é que, após receber o inquérito, o procurador ofereça a denúncia à 6a Vara Criminal Federal.

(Reportagem de André Guilherme Delgado)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h59

    -0,82
    3,256
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h07

    1,39
    64.106,04
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host