UOL Notícias Notícias
 

17/11/2009 - 17h15

Oferta maior de óleo de soja garante mistura de 5% de biodiesel

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - Uma produção maior de soja no Brasil na temporada 2009/10, um esperado crescimento do esmagamento doméstico no ano que vem e uma menor exportação do grão darão folga para o país elevar o percentual de mistura de biodiesel no diesel de 4 para 5 por cento, a partir de janeiro, disseram especialistas nesta terça-feira.

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Bicombustíveis (ANP) realiza nesta terça o primeiro leilão de biodiesel para atender à mistura B5.

Com o aumento da mistura, a demanda de biodiesel para 2010 é estimada em pelo menos 2,3 bilhões de litros, sendo que 1,8 bilhão de litros deverá ser feito a partir de óleo de soja, o que por sua vez demandará 9 milhões de toneladas da oleaginosa, ou cerca de 15 por cento da produção total esperada para o Brasil.

A safra de soja brasileira, cujo plantio 09/10 de uma área 5 por cento maior ante 08/09 está se desenvolvendo bem até o momento, pode crescer mais de 10 por cento, para 63-64 milhões de toneladas.

"Certamente no ano que vem vamos ter uma safra bem melhor, se o clima for favorável. Então isso vai dar uma folguinha pra trabalhar melhor essa questão de biodiesel", afirmou o secretário-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), Fábio Trigueirinho.

Mesmo com uma produção mais fraca em 08/09, o Brasil realizou exportações recordes do grão, com a elevada demanda da China, maior importador mundial, reduzindo a disponibilidade para a indústria processadora.

"Esperamos retomar um pouco o esmagamento, este ano foi um ano atípico, a meu ver exportou muito grão, muito rápido, então naturalmente criou uma situação de maior aperto que o normal, isso dificultou um pouco a indústria", acrescentou ele.

Esse esmagamento maior esperado já deve começar a ter efeito no primeiro trimestre do ano que vem, quando deverão ser consumidos os 575 milhões de litros de biodiesel que estão sendo leiloados pela ANP nesta terça, que devem ser comprados pela Petrobras e a Refinaria Alberto Pasqualini.

Estoques iniciais baixos de farelo em 09/10 também devem favorecer o biodiesel no ano que vem, pois a indústria tende a produzir mais para cobrir o aperto do derivado, gerando mais óleo. Do processamento de um volume qualquer de soja, obtém-se entre 18,5 e 21 por cento de óleo, e a grande maioria dos produtos derivados é farelo.

"No longo prazo, o biodiesel tende a acompanhar a indústria de farelo, ele não vai ser o líder da corrida, ele ainda tem espaço pra crescer, mesmo com o B5 ainda vai dar pra exportar óleo no ano que vem", comentou Pedro Collussi, analista da AgraFNP.

FORÇA DO BIODIESEL

Para a nova temporada, a Abiove prevê produção de 6,1 milhões de toneladas de óleo de soja, contra 5,7 milhões de toneladas na anterior, com o biodiesel tendo impacto nesse crescimento, uma vez que apenas o consumo humano não seria suficiente para responder por todo esse avanço.

"O consumo humano de óleo de soja no Brasil está estacionado há seis anos, porque as pessoas estão consumido óleo de girassol, óleo de oliva, óleo de canola, outros óleos mais nobres, como a renda está aumentando", disse João Batista Cardoso, diretor da Binatural, indústria de biodiesel com sede em Formosa, em Goiás.

Ele lembrou ainda que o setor de biodiesel, que deve movimentar 7 bilhões de reais em 2010, além de contar com oferta suficiente para atender ao aumento da mistura, já tem capacidade de produção no país de 4 bilhões de litros, ou seja, bem superior à demanda prevista para 2010.

"O setor continua brigando por outros bês, temos capacidade para B10, já tem várias cidades fazendo experiência com B20 e até com B100", ressaltou Batista.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host