UOL Notícias Notícias
 

10/12/2009 - 20h21

Equador acusa EUA de ajudarem Colômbia no ataque às Farc em 2008

Por Hugh Bronstein

QUITO (Reuters) - Inteligência norte-americana dentro do Equador foi usada pelas tropas colombianas para planejar um ataque em 2008 que matou um chefe das Farc em território equatoriano, disse o governo de Quito nesta quinta-feira.

O relatório de 130 páginas do governo equatoriano diz que as forças norte-americanas então baseadas na cidade de Manta, na costa do Pacífico, ajudaram as tropas colombianas a acharem e atacarem Raúl Reyes, então o número 2 das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

O ataque de março de 2008, lançado na região de fronteira no Equador chamada Angostura, provocou uma crise diplomática entre Colômbia e Equador. Os dois países só agora estão restabelecendo as relações diplomáticas.

Desde então o Equador pôs fim ao acordo de cooperação em Manta, fazendo Washington assinar um acordo com a Colômbia em outubro que permite que forças norte-americanas lancem operações anti-drogas a partir de sete bases militares colombianas.

"A inteligência estratégica processada na base em Manta foi fundamental para localizar Raúl Reyes", diz o relatório. "O pacto de Manta que visava controlar o tráfico de drogas foi além do seu propósito".

Vários governos de esquerda latino-americanos são contra o novo pacto entre EUA e Colômbia. O presidente venezuelano, Hugo Chávez, adverte que o pacto pode preparar o terreno para uma invasão dos EUA a seu país do território colombiano.

Washington e Bogotá rejeitam a acusação, dizendo que o pacto visa apenas ao combate do comércio de cocaína e de grupos criminosos na Colômbia.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h30

    -0,21
    3,166
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h33

    0,21
    68.495,50
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host