UOL Notícias Notícias
 

12/01/2010 - 20h07

Fortes tremores no Haiti causam danos e vítimas

Por Joseph Guyler Delva

PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - Um forte terremoto atingiu o Haiti nesta terça-feira, derrubando prédios, soterrando moradores e deixando muitos mortos e feridos na capital Porto Príncipe, disseram testemunhas na cidade.

O epicentro do tremor de magnitude 7,0 foi localizado dentro do território haitiano, a cerca de 16 quilômetros da capital, e teve profundidade de apenas 10 quilômetros. O terremoto foi seguido de outros dois tremores fortes, de magnitudes iniciais de 5,9 e 5,5.

O sismo provocou a emissão de um alerta de tsunami para partes do Caribe, incluindo Haiti, República Dominicana, Cuba e Bahamas, informou o Centro de Alerta para Tsunamis no Pacífico.

Moradores em pânico tentavam desesperadamente resgatar pessoas sob os escombros ou buscavam por parentes desaparecidos.

"As pessoas estão gritando 'Jesus, Jesus' e correndo em todas as direções(...) Tudo começou a sacudir, as pessoas estavam gritando, as casas começaram a cair. É o caos total", disse.

"Vi pessoas sob os escombros, e pessoas mortas", acrescentou.

O palácio presidencial estava entre os prédios atingidos, afirmou à rede CNN o embaixador do Haiti nos Estados Unidos, Raymond Alcide Joseph.

"Meu país está enfrentando uma grande catástrofe", disse.

O presidente norte-americano, Barack Obama, disse que "seus pensamentos em orações" estavam com o povo do Haiti. "Estamos monitorando a situação de perto e estamos prontos para ajudar as pessoas do Haiti".

Um funcionário local para o programa norte-americano Food for the Poor informou ter visto a queda de um prédio de cinco andares em Porto Príncipe, disse à Reuters a porta-voz do grupo, Kathy Skipper.

Outra funcionária do grupo disse haver mais casas destruídas do que erguidas na rua Delmas, uma importante avenida da cidade.

A embaixada norte-americana em Porto Príncipe informou que telefones e celulares na capital não estão funcionando, afirmou o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Charles Luoma-Overstreet.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (Bid) disse que disponibilizará imediatamente uma ajuda emergencial de 200 mil dólares ao Haiti.

Segundo a entidade, o montante será usado para o fornecimento de alimentos, remédios e abrigo para as vítimas do terremoto.

LULA EXPRESSA PREOCUPAÇÃO

O Haiti é o país mais pobre do Ocidente. O Brasil comanda cerca de 7.000 soldados da força de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no país, Minustah, enviada em 2004, e tem 1.266 militares na região, dos quais 250 são da engenharia do Exército.

O Ministério da Defesa brasileiro informou em nota na noite desta terça-feira que houve "ocorrência de danos materiais em algumas instalações usadas por brasileiros", mas que só será possível fazer um balanço na quarta-feira.

O Itamaraty informou que o ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, conversou com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que expressou "preocupação" com os brasileiros no Haiti e manifestou sua solidariedade ao povo local.

A chancelaria brasileira disse à Reuters que o contato telefônico com representantes na capital haitiana está "muito difícil", mas que "vai tomar providências no sentido de verificar se há brasileiros (entre os mortos e feridos)".

CUBA E REPÚBLICA DOMINICANA

Cidadãos dominicanos entraram em pânico em várias regiões do país, incluindo a capital Santo Domingo, após o terremoto que atingiu o vizinho Haiti, mas as autoridades não registraram vítimas nem danos materiais.

Após o tremor, o Centro de Operações de Emergência (CEO) recomendou suspender a operação do metrô de Santo Domingo como medida de prevenção, disse um porta-voz da empresa que opera o sistema de transporte.

"Até agora só tivemos registros de pânico e alarme entre moradores de várias localidades, mas não há vítimas nem danos materiais", disse.

Em Cuba, o governo começou a retirar os moradores do município de Baracoa, na parte oriental da ilha, depois que um alerta de tsunami foi emitido para alguns países do Caribe.

"Sim, já começaram a retirar. O secretário do (governista) Partido (Comunista) e os companheiros do Ministério do Interior estão orientando as pessoas a saírem em direção às montanhas devido ao alerta de tsunami", disse por telefone uma funcionária que pediu para não ser identificada.

Baracoa, no extremo leste de Cuba, tem uma extensão de 976,6 quilômetros quadrados, faz fronteira ao norte com o Oceano Atlântico e tem uma população de 82 mil habitantes.

"Não posso falar, tenho que ir (...) é preciso ir e todo mundo está correndo, vem uma onda muito grande", disse, nervosa, Milagros, uma mulher que vive muito perto do mar.

(Reportagem adicional de Alister Bull, Jane Sutton, Phil Barbara, Jeff Franks, Hugo Bachega e Rosa Tania Valdés)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h00

    0,32
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h06

    1,69
    63.719,43
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host