UOL Notícias Notícias
 

20/01/2010 - 13h07

Brasil tem déficit externo de US$24,3 bi em 2009

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil fechou 2009 com déficit em transações correntes de 24,334 bilhões de dólares, registrando saldo negativo pela segunda vez seguida depois de cinco anos de superávit.

O déficit, divulgado nesta quarta-feira pelo Banco Central, foi equivalente a 1,55 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

O saldo negativo do ano ficou abaixo do visto em 2008, de 28,192 bilhões de dólares, mas a tendência apontada nos últimos meses é de aceleração do déficit --resultado de aumento das remessas de lucros e dividendos e da recuperação das importações em meio ao aquecimento da atividade.

Somente em dezembro, as transações correntes foram deficitárias em 5,947 bilhões de dólares --pior resultado da série histórica do BC, iniciada em 1947. O déficit foi maior que o esperado e também superou o saldo negativo de 3,119 de dólares registrado no mesmo mês de 2008.

Analistas consultados pela Reuters previam déficit mensal de 3,45 bilhões de dólares, segundo a mediana de 18 estimativas. O BC esperava saldo negativo de 3,9 bilhões de dólares em dezembro.

Contribuiu para o resultado uma expressiva remessa de lucros e dividendos por parte das empresas no mês, de 5,326 bilhões de dólares, ante 3,146 bilhões de dólares um ano antes.

"O déficit veio maior que o esperado em dezembro. O investimento direto foi melhor, (o item) viagens foi pior e balança foi também pior que o esperado. Acho que é isso, inclusive, que está segurando um pouco o dólar (em alta)", avaliou Carlos Allievi Jr., gestor da Infinity Asset.

"Acho que ainda piora. Com nosso crescimento robusto, as transações correntes tendem a ser piores."

O BC prevê para janeiro déficit em transações correntes de 5,5 bilhões de dólares, com investimentos estrangeiros diretos de 800 milhões de dólares. A estimativa para 2010 é de saldo externo negativo de 40 bilhões de dólares.

INVESTIMENTOS DIRETOS E EM CARTEIRA

Os investimentos estrangeiros diretos foram de 5,109 bilhões de dólares em dezembro, acumulando 25,949 bilhões de dólares em 2009.

A cifra é bem inferior aos 45,058 bilhões de dólares recebidos em investimentos pelo país em 2008.

Os investimentos em carteira, por outro lado, atingiram 46,2 bilhões de dólares. Incluindo as operações de curto prazo, os investimentos de estrangeiros em ações e renda fixa no país somaram 47,148 bilhões de dólares --maior valor da série histórica.

As remessas de lucros e dividendos foram de 5,326 bilhões de dólares em dezembro, atingindo 25,218 bilhões de dólares no ano passado. A cifra é inferior aos 33,875 bilhões de dólares vistos em 2008, ano em que a economia mostrava vigor antes da crise mundial.

Com um superávit de 70,551 bilhões de dólares na conta capital e financeira no ano passado, o resultado global do balanço de pagamentos foi positivo em 46,651 bilhões de dólares.

(Com reportagem adicional de Silvio Cascione)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,84
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,35
    68.594,30
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host