UOL Notícias Notícias
 

01/02/2010 - 12h01

EUA vão retomar resgates médicos no Haiti

Por Mica Rosenberg e Tom Brown

PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - O governo dos EUA disse no domingo que vai retomar os voos militares para a retirada de vítimas gravemente feridas do terremoto haitiano, após uma suspensão de quatro dias por questões de custo e operacionais.

A Casa Branca informou que os voos seriam retomados dentro de 12 horas. Equipes médicas no Haiti diziam que a suspensão ameaçava a vida de pacientes em estado grave.

"Tendo recebido garantias de que existe capacidade operacional tanto aqui quanto entre nossos parceiros internacionais, estamos convencidos de que podemos retomar esses importantes voos", disse em nota Tommy Vietor, porta-voz da Casa Branca.

Em outra dor de cabeça para funcionários dos EUA, dez norte-americanos devem comparecer a uma audiência judicial na segunda-feira em Porto Príncipe depois de serem presos sob suspeita de tráfico de crianças.

Os suspeitos - cinco homens e cinco mulheres de uma ONG de Idaho - negam qualquer crime. Eles foram detidos tentando levar 33 crianças para a vizinha República Dominicana, sem documentos que comprovassem a adoção ou que mostrassem que as crianças ficaram órfãs no terremoto.

Uma notícia mais positiva é que as distribuições de alimento, após vários dias de cenas caóticas, transcorreram com mais tranquilidade no domingo, quando foi usado um sistema de cupons que beneficia principalmente as mulheres.

Quase três semanas depois do terremoto de magnitude 7,0, que matou até 200 mil haitianos e deixou cerca de 1 milhão de desabrigados, a operação humanitária internacional ainda tenta dar conta de todas as vítimas.

Centenas de pacientes já foram levados para hospitais dos EUA, principalmente da Flórida. Mas o governador local pediu que o governo federal compartilhe desse ônus, o que levou à suspensão dos voos de resgate dos pacientes.

Na nota de domingo, a Casa Branca disse que os pacientes estão sendo identificados para serem transferidos, que os médicos estão assegurando que cada um deles têm condições de viajar, e está sendo preparado um atendimento pediátrico a bordo dos aviões nos casos em que isso é necessário.

Vietor acrescentou que o governo da Flórida está identificando os hospitais que receberão os pacientes. De acordo com ele, o governo haitiano estima que haja mais de 200 mil feridos.

(Reportagem adicional de Joseph Guyler Delva em Porto Príncipe e Caren Bohan em Washington)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h39

    -0,27
    3,267
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h46

    1,41
    62.544,32
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host