UOL Notícias Notícias
 

09/02/2010 - 17h25

ONU quer US$ 1 mi para meteorologia haitiana antes de chuvas

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA (Reuters) - O Haiti precisa urgentemente de 1 milhão de dólares para reconstruir estações meteorológicas destruídas no terremoto de janeiro, antes que o país comece a ser ameaçado nos próximos meses por inundações e furacões, disse a Organização Meteorológica Mundial (OMM, um órgão da ONU) na terça-feira.

A temporada de chuvas no Haiti começa em abril, e a de furacões tem início em junho. O terremoto de janeiro destruiu muitos dos abrigos que eram usados em caso de calamidade climática.

"Não há absolutamente nenhum tempo a perder. É importantíssimo ajudar o Haiti a estar o mais preparado possível", disse a jornalistas Michel Jarraud, secretário-geral da OMM. "É vital não só para minimizar os riscos, mas também para gerenciá-los via sistemas de alerta precoce, para que as pessoas possam ser retiradas (de áreas de risco)."

Os desabrigados do terremoto estão particularmente vulneráveis aos furacões. As tempestades também costumam causar deslizamentos de terra, especialmente perto de favelas existentes ao longo da costa sul do país, segundo a OMM.

Os serviços meteorológicos haitianos já eram precários mesmo antes da tragédia, e seus funcionários agora trabalham em uma tenda no aeroporto da capital, já que suas instalações foram destruídas.

Não há radar nem estações meteorológicas automatizadas para coletar dados. EUA, Canadá e República Dominicana estão fornecendo previsões para a segurança aérea e as operações de ajuda, disse a OMM, que tem sede em Genebra.

A estimativa de 1 milhão de dólares se refere à restauração de sistemas básicos de comunicações, estações meteorológicas automatizadas, computadores, geradores reserva e treinamento de funcionários ao longo do próximo ano.

Antes, o Haiti costumava usar muito o rádio e outros meios de comunicação para alertar a população sobre tempestades, segundo Robert Masters, diretor de desenvolvimento e atividades regionais da OMM.

"Como as pessoas se informam e são alertadas se não têm televisão, eletricidade nem casa? Precisa haver algum tipo de abordagem que assegure que as pessoas recebam os alertas. Em algumas áreas, temos usado tecnologias simples - há grandes sirenes e pessoas que saem de bicicleta", relatou.

Para além da restauração emergencial, o Haiti precisará de 15 milhões de dólares nos próximos três a quatro anos para oferecer serviços básicos como previsão e observação meteorológica, segundo a OMM.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host