UOL Notícias Notícias
 

11/02/2010 - 20h55

Nasa lança satélite para observar tempestades solares

Por Irene Klotz

CABO CANAVERAL, Estados Unidos (Reuters) - A Nasa lançou nesta quinta-feira um satélite científico para melhorar a previsão de tempestades solares, que são capazes de perturbar sinais de navegação, telecomunicações e redes elétricas.

O Observatório Solar Dinâmico (SDO) subiu ao céu num foguete não tripulado Atlas 5, produzido pela United Launch Alliance, às 10h23 (13h23 em Brasília), na Base Aérea do Cabo Canaveral, na Flórida, após um dia de atraso por causa do mau tempo.

A United Launch Alliance é uma parceria entre as empresas Boeing e Lockheed Martin.

De um posto orbital 35.680 quilômetros acima da Terra, o observatório solar deve passar os próximos 5 a 10 anos observando o sol e transmitindo dados e imagens de altíssima resolução.

Não há gravadores a bordo, e a Nasa espera receber 1,5 terabyte por dia do SDO, o que basta para preencher um CD a cada 36 segundos.

"O SDO vai nos mandar imagens dez vezes melhores que a alta definição", disse o cientista Dean Pesnell. "A contagem de pixels é comparável a um filme Imax - um Imax preenchido com o furioso Sol, 24 horas por dia."

Os físicos pretendem usar essas informações para melhorar as previsões sobre erupções solares e tempestades geomagnéticas, que podem perturbar os sinais de GPS, paralisar satélites de comunicações e interromper o fluxo de energia elétrica.

Por causa de interferências sobre sinais de rádio nas regiões polares, as empresas áreas acabam tendo de desviar voos quando esse fenômeno ocorre.

"Dois ou três dias de antecedência podem fazer a diferença entre salvaguardar as tecnologias avançadas das quais dependemos a cada dia e a perda catastrófica dessas capacidades e trilhões de dólares em comércio interrompido", disse em nota Thomas Bogdan, diretor do Centro de Previsão Meteorológica da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica, em Boulder, no Colorado.

"A meta é desenvolver uma real compreensão física sobre o que ocorre, de modo que possamos fazer previsões mais sofisticadas", acrescentou Alan Title, cientista-chefe de um dos três instrumentos do SDO.

A Nasa, que está gastando cerca de 858 milhões de dólares na missão, também planeja usar os dados do SDO em um aplicativo do iPhone chamado "3D Sun", que mostrará continuamente imagens em três dimensões do Sol.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,45
    3,141
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,39
    64.684,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host