UOL Notícias Notícias
 

11/02/2010 - 16h45

Retirar corpo de Lênin do lugar pode dividir Rússia, diz Kremlin

MOSCOU (Reuters) - O Kremlin não vai retirar o corpo embalsamado do líder revolucionário Vladimir Lenin de seu mausoléu na Praça Vermelha porque teme dividir a sociedade russa, afirmou um porta-voz nesta quinta-feira.

Lenin, que liderou a revolução bolchevique de 1917 e fundou a União Soviética, foi embalsamado após morrer em 21 de janeiro de 1924 e o corpo foi colocado em exposição em um mausoléu sob a sombra das paredes do Kremlin.

Mas o destino do revolucionário --que ainda atrai multidões de turistas-- é uma questão extremamente emocional na Rússia pós-União Soviética e as pesquisas de opinião mostram que a sociedade está dividida sobre o tema.

"A liderança russa atualmente não tem planos de transferir Lênin do mausoléu", disse o chefe de posses do Kremlin, Vladimir Kozhin, a jornalistas. "Qualquer movimento ou decisão sobre essa questão pode agitar o país e dividi-lo. Então, por que fazê-lo?"

"Em algum momento essa questão poderá ser analisada --o que fazer com o mausoléu e um possível enterro (de Lênin)-- mas como, eu não sei. Definitivamente não é uma questão para o curto prazo, nem mesmo para o médio prazo", disse Kozhin.

Os oponentes de Lênin, que o culpam por deflagrar décadas de agitação e colocar a Rússia no caminho da destruição, afirmam que os fantasmas da União Soviética deviam ser colocados de lado e que Lênin deveria ter um enterro apropriado.

O Partido Comunista, porém, o segundo maior partido da Rússia, diz que o pai da União Soviética não deve sair do lugar.

(Reportagem de Guy Faulconbridge)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host