UOL Notícias Notícias
 

12/02/2010 - 19h19

Préval pede a haitianos que "enxuguem as lágrimas" e reconstruam

Por Joseph Guyler Delva e Jim Loney

PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - O presidente haitiano, René Préval, pediu nesta sexta-feira ao seu povo que "enxugue as lágrimas" e reconstrua o país, devastado há exatamente um mês por um terremoto que matou mais de 200 mil pessoas.

Foi o primeiro pronunciamento ao vivo de Préval à população desde a tragédia, no dia em que o país iniciou o período de seis dias de luto oficial pelas vítimas, que incluirá orações nacionais e uma "celebração da vida" voltada para o futuro, com direito a uma festa com músicos e artistas na principal praça da capital, segundo autoridades.

Préval disse que a coragem dos haitianos sustenta o governo na busca por maneiras de ajudar a atenuar o sofrimento de centenas de milhares de feridos e desabrigados.

"Haitianos, a dor é pesada demais para que as palavras expressem. Enxuguemos nossas lágrimas para reconstruir o Haiti", disse Préval num palanque cheio de flores na faculdade de enfermagem da Universidade de Notre Dame.

"Haitianos que estão sofrendo: a coragem e a força que vocês demonstraram neste infortúnio é sinal de que o Haiti não pode perecer. É um sinal de que o Haiti não irá perecer", disse Préval, usando uma braçadeira preta sobre a manga da camisa branca.

"As pessoas não podem morrer. As pessoas são almas, e almas não podem morrer", declarou Max Beauvoir, principal sacerdote da religião vodu, que se sentou ao lado do arcebispo católico Joseph Lafontant durante a cerimônia.

"Em 12 de janeiro, 200 mil pessoas, provavelmente mais, morreram. Não é que morreram, elas viajaram para outra vida."

Entre os participantes da cerimônia estavam o presidente do Senado, Kely Bastien, retirado dos escombros do Parlamento com um grave ferimento no pé. Ele foi ao evento de sandálias e com muletas.

Préval também pediu aos haitianos que rezem pelo ex-presidente dos EUA Bill Clinton, que teve alta nesta sexta-feira depois de ser submetido à implantação de dois stents cardíacos.

Clinton é o enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Haiti, e foi indicado pela Casa Branca, junto com seu sucessor George W. Bush, para orientar os esforços humanitários haitianos.

"Estamos com a família dele da mesma forma que ele esteve conosco durante nosso infortúnio", afirmou Préval.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host