UOL Notícias Notícias
 

17/02/2010 - 12h15

Toyota aprimora freios, presidente não fala a Congresso dos EUA

Por Chang-Ran Kim e Nobuhiro Kubo

TÓQUIO, 17 de fevereiro (Reuters) - A Toyota Motor anunciou nesta quarta-feira que instalará um sistema para interromper aceleração indesejada em todos os novos modelos de carros à medida em que procura limitar o dano ocasionado pelo megarecall anunciado nos últimos dias pela companhia.

Mas em declaração que não deve acalmar os parlamentares norte-americanos, o presidente da Toyota, Akio Toyoda, disse acreditar que o chefe da unidade norte-americana, Yoshimi Inaba, é a escolha lógica para uma audiência do Congresso dos Estados Unidos programada para o fim do mês.

Toyoda disse que planeja visitar os Estados Unidos em algum momento, mas que a hora mais oportuna precisa ser decidida.

"Tenho confiança completa na administração da Toyota Motor North America, liderada pelo senhor Inaba e acredito que ele está melhor posicionado para testemunhar", afirmou Toyoda a jornalistas em Tóquio.

Toyoda fez seu anúncio depois da empresa afirmar que irá reduzir produção nos Estados Unidos para se adequar à queda nas vendas no país, enquanto os órgãos reguladores iniciam uma investigação sobre o recall da empresa, que envolve mais de 8,5 milhões de veículos no mundo por problemas relacionados a freios e aceleração indesejada.

O recall foi um golpe na reputação da Toyota, calcada sobre qualidade, segurança e confiabilidade.

Até 34 acidentes fatais com veículos da Toyota são apontados como tendo sido causados por aceleração não intencional desde 2000, segundo queixas apresentadas a reguladores norte-americanos.

A agência de segurança em estradas dos EUA afirma que acredita que cinco mortes estão relacionadas aos tapetes de assoalho dos veículos.

O aprimoramento no sistema de freios que a Toyota vai instalar em novos modelos, similar a usado por outras montadoras, corta o motor quando os pedais de freio e aceleração são pressionados ao mesmo tempo.

Toyoda afirmou que a maior montadora do mundo pode ter crescido muito rapidamente, negligenciando treinamento adequado da equipe para garantir que a qualidade não fique atrás da expansão da empresa.

"A regra básica do Sistema de Produção da Toyota é produzir carros apenas se há demanda para ela e nós quebramos essa regra", afirmou o executivo em sua terceira entrevista coletiva à imprensa em duas semanas.

A Toyota informou que vai instalar centros de treinamento para melhora de qualidade ao redor do mundo.

A montadora planeja interromper a produção em duas fábricas nos Estados Unidos por pelo menos 11 dias para ficar compatível com a queda nas vendas, pouco menos de uma semana depois de retomar a montagem de oito modelos nas seis fábricas norte-americanas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h39

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h50

    -0,56
    63.726,32
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host