UOL Notícias Notícias
 

26/02/2010 - 20h08

Jobim defende doações em dinheiro ao Haiti

SÃO PAULO (Reuters) - O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou nesta sexta-feira que os governos brasileiro e haitiano já estão preocupados com o contínuo envio de alimentos ao Haiti, atingido por um forte terremoto em janeiro, e defendeu que o ideal neste momento são doações em dinheiro.

Durante encontro em Brasília com o subsecretário para Assuntos Políticos dos Estados Unidos, Willian Burns, Jobim disse que as doações de produtos estrangeiros restringem o mercado local e desestimulam a produção de alimentos pelos próprios haitianos.

"Por isso o governo brasileiro priorizará a ajuda em dinheiro e estimulará a produção local com assistência técnica", disse Jobim segundo comunicado do Ministério da Defesa.

O governo brasileiro já se comprometeu com uma ajuda de 375 milhões de reais.

Durante encontro bilateral, Jobim e Burns focaram as ações dos dois países no Haiti. Jobim também falou sobre o projeto de construção de uma hidrelétrica.

Nesta semana, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou no programa "Café com o Presidente" que o Brasil vai cooperar na construção da obra para ajudar nas atividades de irrigação, de geração de energia e no desenvolvimento da agricultura.

Jobim visitou o Haiti na quinta-feira acompanhando Lula. O presidente afirmou que a Cúpula das Américas e do Caribe discutiu, durante encontro no México nesta semana, uma doação de 100 milhões de dólares ao Haiti.

O Brasil lidera a missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti, conhecida como Minustah, que tem um contingente de aproximadamente 9.000 pessoas, sendo 7.000 militares.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h19

    0,73
    3,281
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h23

    -1,89
    61.457,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host