UOL Notícias Notícias
 

01/03/2010 - 20h57

Lula visita Chile e diz que reconstrução será "difícil"

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reuniu-se nesta segunda-feira com sua colega chilena, Michelle Bachelet, em Santiago, onde reafirmou a ajuda brasileira ao país atingido por um forte terremoto que matou mais de 700 pessoas.

Lula, que estava no Uruguai para a posse do presidente José Mujica, cancelou sua agenda oficial e viajou ao Chile para testemunhar os estragos causados pelo tremor. Para ele, a reconstrução do país será "difícil".

"O que nós sabemos é que vai ser difícil reconstruir tudo o que foi destruído, mas o povo chileno já está acostumado com isso", disse Lula a jornalistas ao lado de Bachelet no aeroporto de Santiago.

Na madrugada de sábado, um forte terremoto de magnitude 8,8 atingiu a região centro-sul do Chile, provocando um tsunami que arrasou a cidade de Concepción, a mais afetada pelo sismo.

Segundo o presidente, que foi o primeiro chefe de Estado a visitar o país após o terremoto, não há informações de brasileiros vítimas do tremor. Ele acrescentou que a embaixada brasileira seguirá "atenta".

Antes de embarcar em Montevidéu, Lula considerou "grave" a situação no Chile e afirmou a disposição do Brasil de ajudar o país financeiramente.

"Eu vou até o Chile porque me parece que a coisa é mais grave do que a gente sabia", declarou. "Obviamente que o Brasil estará disposto a dar uma ajuda financeira se o Chile precisar."

Na quarta-feira, um hospital de campanha da Marinha e equipes de busca e salvamento da Defesa Civil devem ser enviados ao Chile para ajudar nos trabalhos de resgate.

(Por Hugo Bachega)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,79
    3,152
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h22

    1,18
    65.148,35
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host