UOL Notícias Notícias
 

04/03/2010 - 22h16

Chile reduz número e anuncia 279 mortos identificados

SANTIAGO (Reuters) - No último de uma série de episódios confusos após o forte terremoto do fim de semana, o governo chileno reduziu nesta quinta-feira o número de mortos para um terço sem dar explicações.

Vinte e quatro horas depois de ter informado 802 mortos, o subsecretário do Interior, Patricio Rosende, apareceu na televisão para ler, um por um, os nomes de 279 mortos identificados.

Rosende não explicou as razões da revisão. Mas, segundo uma fonte do Ministério do Interior, nos necrotérios há ainda centenas de cadáveres não identificados.

Foi o último episódio bizarro em torno do sismo e dos tsunamis de sábado, que desmantelaram cidades e tiraram povos inteiros do mapa.

A Marinha chilena reconheceu na quarta-feira que titubeou e não informou com clareza a presidente Michelle Bachelet sobre o perigo de tsunamis depois do terremoto de magnitude 8,8, um dos mais violentos da história.

Quando finalmente soaram os alarmes de tsunami, este foram desativados sem explicação, antes de gigantescas ondas arrasarem com várias localidades costeiras.

No sábado, Bachelet demorou horas para sobrevoar a região do desastre para avaliar os danos, porque aparentemente não conseguiam localizar o piloto de um helicóptero que tinha o telefone celular desligado.

O governo chileno foi fortemente criticado pela lentidão na divisão da ajuda humanitária. Cinco dias depois do desastre, os habitantes de alguns povoados devastados não receberam alimentos.

(Reportagem de Esteban Israel)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host