UOL Notícias Notícias
 

18/03/2010 - 09h26

Israel diz que enviado de Obama pode voltar no domingo

JERUSALÉM (Reuters) - O representante especial da Casa Branca para o Oriente Médio, George Mitchell, pode voltar no domingo à região, disse uma autoridade israelense nesta quinta-feira.

Mitchell deveria ter chegado na terça-feira, mas adiou a viagem por causa do plano israelense de construir 1.600 casas em um assentamento perto de Jerusalém Oriental. O anúncio irritou os EUA e os palestinos, que ameaçam não aderir a um processo indireto de negociação com Israel, no qual Mitchell deve ser o mediador.

Em nota, o ministério da Defesa de Israel disse que o titular da pasta, Ehud Barak, conversou por telefone na quarta-feira com Mitchell, e que eles "discutiram vários meios e possibilidades para resolver a crise e ativar negociações entre Israel e os palestinos."

"Além disso, os dois discutiram a possibilidade de Mitchell chegar neste próximo domingo", acrescentou o texto.

A embaixada dos EUA em Israel confirmou que a conversa ocorreu, mas disse não estar ciente dos planos de viagem de Mitchell, que pode coincidir com uma visita do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu a Washington, onde participará de um evento pró-Israel. Não está claro se ele será recebido por membros do governo de Barack Obama.

Na semana passada, o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, fez uma visita a Israel, marcada pelo constrangimento causado pelo anúncio das novas casas para colonos.

No começo da semana, a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, usou termos excepcionalmente duros para se dirigir a Israel, exibindo provas do compromisso do Estado judeu com o processo de paz.

Até a quarta-feira, segundo o Departamento de Estado, Israel não havia apresentado tais provas. Nesse dia, Hillary embarcou para uma reunião de mediadores do Oriente Médio na Rússia.

A imprensa israelense diz que Hillary pressionou Israel a arquivar o projeto habitacional e a aceitar discutir as questões principais relacionadas à criação do Estado palestino assim que as negociações indiretas começarem.

Netanyahu diz que não irá restringir a construção de casas para judeus em nenhum lugar do município de Israel. O assentamento em questão fica numa área da Cisjordânia anexada por Israel, sem reconhecimento internacional, ao município de Jerusalém.

(Por Dan Williams)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host