UOL Notícias Notícias
 
24/03/2010 - 19h26

Iris deve disputar governo de Goiás e quer Meirelles no Senado

BRASÍLIA (Reuters) - O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), está disposto a disputar o governo do Estado e deseja o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, a seu lado disputando uma vaga ao Senado Federal.

Um evento para lançar o nome de Iris já foi pré-marcado para a próxima terça-feira. Até lá, ele deseja de Meirelles uma sinalização sobre seu futuro político. Considera a adesão do titular da autoridade monetária crucial para fortalecer sua chapa.

"(A candidatura do Iris) está bem caminhada, mas não está definida", disse à Reuters o presidente estadual do PMDB em Goiás, Adib Elias Junior.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse mais cedo que "talvez converse" com Meirelles na semana que vem, mas uma fonte do governo afirmou, sob condição de anonimato, foi mais específico: a conversa com o presidente do BC ocorre na segunda-feira, portanto antes do evento.

Mais cedo, sem fazer referência a Meirelles, Lula havia afirmado que a saída de ministros de seu governo por conta das eleições não trará "nervosismo porque nós temos consciência do que queremos até o final do mandato".

Até agora, o mais cotado para substituir Meirelles no comando do BC é o diretor de Normas e Organização do Sistema Financeiro, Alexandre Tombini.

Um ministro de Estado também disse à Reuters que Meirelles estaria mesmo de malas prontas. A informação coincide com a de outro interlocutor de Lula que conversou nesta quarta-feira com um dos titulares da área econômica. Este último afirma que o presidente do Banco Central deixaria a instituição, mas só decidiria seu futuro político mais tarde.

Uma de suas opções, nunca negada pelo governo, é assumir a vaga de vice ao lado da pré-candidata do Planalto, ministra Dilma Rousseff (PT). Essa possibilidade, porém, esbarra nas perspectivas do presidente do PMDB e da Câmara, deputado Michel Temer (SP), de ocupar a vaga.

Entre alguns analistas econômicos, há expectativa de que o presidente do BC --além do diretor de Política Econômica, Mario Mesquita, que também deve deixar a instituição-- aguardem a divulgação do Relatório de Inflação do primeiro trimestre para anunciar as mudanças.

O relatório é publicado no final de cada trimestre e, segundo a assessoria de imprensa do BC, ainda não foi marcada a data para o deste mês.

(Reportagem de Natuza Nery e Ana Nicolaci da Costa)

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host