UOL Notícias Notícias
 

25/03/2010 - 21h08

ENTREVISTA-Paquistão enaltece diálogo com EUA na área nuclear

Por Sue Pleming

WASHINGTON (Reuters) - O ministro de Relações Exteriores do Paquistão, Shah Mehmood Qureshi, disse nesta quinta-feira que sua equipe manteve um diálogo "muito satisfatório" com os Estados Unidos sobre cooperação nuclear civil, mas um alto funcionário norte-americano minimizou a possibilidade de um acordo.

O Paquistão, país detentor de armas nucleares, está pressionando por uma cooperação no campo nuclear semelhante à que os Estados Unidos firmaram com a Índia, com quem mantém rivalidade, mas o governo norte-americano tem relutado em estabelecer qualquer tipo de conversação formal nessa questão.

O chanceler Qureshi disse em entrevista à Reuters que as reuniões com autoridades dos EUA sobre cooperação nuclear, não proliferação e controles de exportação estavam indo bem.

"Estou bastante satisfeito com as conversas que tivemos", declarou Qureshi, quando indagado sobre a questão da cooperação nuclear. "Nesta etapa, prefiro não falar sobre isso."

Ele acrescentou que "as conversações foram muito satisfatórias", mas não quis especificar o tipo de cooperação buscada pelo Paquistão.

Quando questionado sobre os comentários de Qureshi, um alto funcionário dos EUA deixou claro que não há planos para conversações formais, observando que não houve referências à questão nuclear civil em um comunicado divulgado nesta quinta-feira, depois dos dois dias de reuniões.

"Não está na mesa. Os pontos de vista paquistaneses são bem compreensíveis e nós os ouvimos com atenção", disse o funcionário, falando sob a condição de manter o anonimato.

As conversações de alto nível em Washington tinham como objetivo melhorar as relações entre os dois países aliados, já que os EUA dependem da cooperação do Paquistão em sua luta contra o Taliban e os militantes da Al Qaeda no Afeganistão.

O governo norte-americano tem sido dúbio sobre conversações para compartilhar tecnologia nuclear, em parte por causa do temor de melindrar a Índia, mas também pela preocupação com o caso do cientista paquistanês Abdul Qadeer Khan, que transferiu segredos nucleares para a Coreia do Norte, Irã e Iraque.

"Acho que isso ficou para trás", disse Qureshi, quando indagado sobre o caso Khan. "Acho que eles compreendem as novas estruturas de comando e controle que temos em operação. Acho que estão bastante satisfeitos com a segurança no Paquistão e isso é reconhecido."

Apenas alguns dias antes das conversações para o "diálogo estratégico", em Washington, o governo paquistanês entrou com uma petição judicial para que o caso Khan fosse investigado.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host